terça-feira, 1 de julho de 2014

Tempo de criatividade sem fim

Um dos grandes prazeres que tenho quando assisto televisão durante um período como o de Copa do Mundo, além dos jogos, sem dúvida, é poder ver como são criativas e bem feitas as propagandas que são transmitidas durante a programação. 

Assistir TV aberta ou os canais de esportes pagos no Brasil nessa época é muito diferente. De repente, a gente não sabe ao certo do que mais gosta se dos jingles, das letras dos pequenos hinos criados para a Copa com ritmos empolgantes e emocionantes, das imagens bem captadas e excelentemente escolhidas e combinadas ou se é tudo ao mesmo tempo agora. É criatividade que não acaba.

Entrce as que me lembro imediatamente só de memória, há uma campanha da Adidas, em que Messi, jogador da Argentina, sonha com o Tudo ou Nada na Copa do Brasil. Noutra, ele é acordado por Dani Alves, do Brasil, numa provocação irônica de "tudo ou nada" entre colegas, já que ambos jogam no time do Barcelona. 

Outra, da Sadia, exibe diversas crianças dizendo: "eu nunca vi o Brasil ser campeão" e pedem: "joga pra mim!". É uma graça. 

Pra mim, "amarra esse amor na chuteira" do Itaú, é uma das mais envolventes campanhas desta Copa. Desde que começou a ser exibida, eu gosto de cantar  musiquinha. A letra é muito simpática. Pena que não emplacou nas torcidas dentro dos estádios que continuam gritando "sou brasileiro com muito orgulho".  




Agora, impagáveis mesmo são os comerciais "Bem-vindos à nossa Redondeza!" da Skol. São muito engraçados. A primeira vez que eu vi foi no interior e os países escolhidos para protagonizar os comerciais eram Inglaterra e Itália. Em São Paulo, somos muito acostumados com propagandas bem feitas, com roteiros inteligentes, produzidas com alta tecnologia o que dá às imagens uma qualidade bem superior. No interior, devido à programação regionalizada, nem sempre os comerciais são feitos com tanto requinte. Por isso, essas peças da Skol me chamaram tanto a atenção. Há uma premeditada forçada de barra, que faz com que sejam engraçados. É uma verdadeira tiração de sarro, chacota mesmo com os ingleses que não vencem desde 1966, com italianos que nos deram o tetra e depois, vieram os franceses que dançam o cancan  para nós brasileiros e torcedores argentinos que são todos enfiados numa casa que é mandada diretamente para Buenos Aires de volta.  O humor, claro, é feito às custas dos adversários, mas andei pesquisando e as marcas fazem os mesmo de forma invertida para as TVs nos outros paises. 

Na Argentina, o sonho da Adidas mostra imagens de jogadas espetaculares de Messi rumo ao título de Campeã.  Dani Alves é só o coadjuvante. No Brasil é o contrário.  De qualquer forma, o resultado da campanha é de uma qualidade inquestionável. 

Há ainda uma campanha do Governo Federal sobre a Copa ser na nossa casa, sugerindo que essa é uma grande oportunidade para mostrarmos ao mundo o que é ser brasileiro por meio da gentileza e da cortesia. 

OhhhhhhhhhEhhhhhhhhhAhhhhhhhh! Vinheta em animação mostrando todos os estados e estádios do Brasil – campanha da Fifa. Essa é uma peça muito bonita também. 

Uma que só vi uma vez é a do refrigerante H2OH! Enquanto um casal discute a relação,  a menina sugere um rala e rola durante o jogo, ao que o cara responde que se o jogo tiver prorrogaçao vai ser muito tempo... a menina ironiza o parceiro numa insinuação que ele não passa do hino... Muito boa! 

A partir de amanhã, eu não verei mais esses comerciais brasileiros e quando voltar de viagem eles já terão sido substituídos por outros. Aí virá a propaganda eleitoral. Já pensou que troca boa?? rsrs 

Para quem fica, se não tinha notado as campanhas publicitárias, fique atento e  aproveite . Esse é um tempo muito especial. 

Nos próximos dias, notícias de viagem! Férias!!!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário