terça-feira, 5 de agosto de 2014

Autostadt - A Disneylandia da Volkswagen

Na Alemanha, terra na qual os carros são uma grande paixão, tanto quando se pensa na indústria, já que lá estão Volkswagen,  Mercedes-Benz, Porsche, Opel, BMW, Audi, quanto em razão do virtuosismo de pilotos como Michael Schumacher (heptacampeão de Fórmula 1), Sebastian Vettel (tetra) e Nico Rosberg (líder atual do campeonato 2014 de F1), isso só para citar alguns dos nomes mais contemporaneamente conhecidos. 

Não é à toa, portanto, que lá existe um parque completamente voltado a essa declarada paixão nacional, juntamente com a cerveja e o futebol (tratemos de pular essa parte!). 

O local é incrível já que a Volkswagen não poupa esforços e recursos financeiros para garantir que a melhor tecnologia de última geração seja usada para encantar o visitante, visando que sua atenção permaneça totalmente voltada a um só assunto. 









Você deve estar se perguntando: é um parque de diversão? Sim, é também um parque de diversão! Mas, mais que isso é um grande complexo de entretenimento, cultura, gastronomia e convivência, cujo foco são os carros. Tem muitas atrações que envolvem crianças,  embora o principal encantamento se dê com os adultos. São eles que compram carros, afinal.

Alex Candeira, nosso anfitrião e jovem executivo brasileiro atuando na Volkswagen da Alemanha, define o local como o cartão de visitas da empresa.  O parque fica ao lado da grande fábrica da Volks em Wolfsburg (ou Wob), local onde mais de 49 mil pessoas trabalham produzindo mais de 3 mil unidades automobilísticas ao dia. 

Quando planejamos nossa viagem para a Alemanha, nosso roteiro previa dias de visita aos nossos amigos Euzi, Alex e Rafael, em Wob.  Eu, especialmente, não via a hora de encontrá-los. Sabíamos que iríamos à cidade da Volkswagen e pretendíamos conhecer a fábrica de carros mais famosa do mundo pra mim. Eu tinha a imagem das chaminés na minha cabeça. O que não sabíamos era que a Autostadt era tão interessante e que lá passaríamos várias horas divertidas e agradáveis.  




Além de um complexo educativo sobre desenvolvimento sustentável e um museu de automóveis, o Zeithaus Museum, com modelos marcantes de todos os tempos (esse não é o museu da VW, existe um museu pequeno em Wob só da marca - também estivemos lá), há pavilhões específicos para as marcas Porsche, Skoda, Seat, Lamborghini, Volkswagen e o Premium Club House onde está a Bugatti. 




Cada um desses prédios atrai o público com mais e mais tecnologia e bom gosto. Por si só,  são espetaculares tanto em conceito como em construção. Disputam entre si em termos de arquitetura inovadora. Neles, além dos carros-conceito representantes de cada marca e seus shows e atrações sensacionais, está também a oportunidade quase única de transformar sonho em realidade. Ou seja, dá para experimentar ao menos por alguns instantes alguns dos carros. É o imaginário concretizado.  Eu, por exemplo, caí na real totalmente: eu nasci para ter um porsche! 



E não pára por aí.  Na Autostadt também tem um centro de atendimento ao cliente onde é possível comprar carros novos. Caso você compre o seu zero km lá, poderá retirá-lo numa das duas torres de vidro e aço galvanizado de 60 metros de altura que abrigam 400 carros cada. Essas torres são ligadas à fábrica por um túnel subterrâneo de 700 metros por onde os veículos acabados são enviados diretamente da linha de produção por um sistema de correias transportadoras. Quando chegam às torres são levantados por braços mecânicos que giram  a partir de uma viga central para deixar cada carro em sua baia suspensa.  Um jeito no mínimo interessante de realmente pegar um carro com o odômetro marcando zero. 




Só de ver subir e descer os carros, já é uma diversão, mas também dá para subir por um elevador com capacidade para até dez pessoas sentadas que mais parece uma nave futurista até onde está o seu carro no alto da torre. Demais, rapaz! 

Para visitar a Autostadt é preciso comprar um ingresso que custa 15 euros. Nele está incluída também uma visita à fábrica. Essa parte do entretenimento começa com um breve passeio de barco pelo rio Aller (canalizado/retificado na área da fábrica para atendê-la e - diga-se - completamente limpo). Depois os navegantes descem da embarcação e entram num ônibus especial que percorre a linha de produção. No nosso caso, visitamos a do golf. Poderia ter sido na linha de produção do Touareg. Demos sorte de conseguir agendar essa visita guiada em inglês porque só há um horário nessa língua por dia. Todas as demais são visitas guiadas em alemão. O que para mim poderia até ser russo ou grego, tanto faz já que eu não entendo mesmo. 




Na Autostadt, há 10 restaurantes, todos voltados a atender com alta qualidade qualquer das expectativas dos clientes, sejam os que os frequentam como ambientes de negócios ou lazer. Também atendem aqueles que querem apenas uma pausa para um café e os que vão para relaxar ou só para matar a fominha entre as atividades oferecidos no lugar. Para cada restaurante valeria toda uma matéria especial.  Pena que eu só conheci um deles. Entretanto, o que sei e vi é que o nível do serviço e da comida é alto. Os chefs são premiados, a decoração e o ambiente são impecáveis, o atendimento de primeira (embora nem sempre bilíngue) e as opções de comida vão do trivial (como um latte machiatto) a sofisticadas preparações gourmet. No bojo de todo sse cuidado, há lá dentro uma escola de gastronomia para eventos especiais. Para se aprofundar nesse assunto, no site da Autostadt há uma área que traz até receitas sugeridas pelos chefs. Vale a pena dar uma navegada. 

Lá dentro tem também uma padaria,  a Autostadt Bakery: das Brot. Por sinal, eu aprendi (consumindo, graças a Deus, sem culpa!) que os pães são o melhor produto feito na Alemanha. Não há nada igual. Dos que provei, todos estavam deliciosos, desde os mais comuns aos mais sofisticados, tanto os comprados nos locais mais simples como os provados em restaurantes de hotéis de padrão internacional. 

Nessa Disneylandia da Volkswagen, tem ainda uma escola de direção para crianças, uma praça cultural que serve de ponto de encontro, teatro e anfiteatro, cinema, área para shows com concha acústica e espelhos d`água onde anualmente é promovido um show de águas e um largo espaço para passear. À beira do rio tem uma praia, dentro do parque. Também é possível fazer test drives de veículos numa pista especializada. 

O estrelado hotel Ritz-Carlton Wolfsburg fica à direita da fábrica e seu acesso se dá por uma área do parque. 

Como estivemos na Autostadt no verão, algumas atrações especiais estavam rolando. Pudemos navegar pelo rio num barco-deck muito confortável no qual o Silas foi o barqueiro e curtir um bungee jump sentado (de cadeirinha) que balançava por cima do rio. Tudo graças ao sol brilhando e o entardecer da Baixa Saxônia no verão que ocorre lá pelas 21h45. Dias longos ensolarados. Pura curtição! 



Para descrever todo esse complexo empreendimento que junta diversão e negócios seriam necessárias muitas páginas, mas o grande lance é perceber como pode ser construído um belíssimo cartão de visitas. A Volkswagen na Alemanha é ousada, tecnológica, divertida. Diferente da austera unidade de São Bernardo no Brasil, tão fechada, rígida. Certa vez estive lá para uma visita de negócios e fiquei confinada numa salinha de dois por dois metros, sem janelas. Fui atendida tão rapidamente que parecia estar atrapalhando a gerente de marketing que me recebeu. Antes disso, tive que mostrar documentos, passar por um longo processo para fazer o agendamento, apresentando versões detalhadas do assunto da visita, enfim, um saco! 

A austeridade da fábrica na Alemanha está representada nas quatro colossais chaminés que, em última instância, servem como cartão postal da cidade. No mais, a impressão não poderia ter sido melhor, nem mais leve, divertida e saborosa. 


Serviço: 

Autostadt

3 comentários:

  1. Anônimo17:43

    Adorei seu texto! Conheço o local, já fui duas vezes, uma no verão e outra no inverno, com direito a "mercado de Natal", com vinho quente e tudo mais. Sempre indico para quem eu conheço, pois acho que vale a pena (=
    Bjs!
    Cath.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cath, que legal encontrar alguém que já foi e achou o texto honesto! rsrs. Espero que tenha gostado do blog. Ainda é incipiente, mas tenho tido muitas alegrias com ele. Um beijão para vc e obrigada por ter entrado.

      Excluir
  2. Olá! muito legal sua experiencia! quanto tempo leva um passeio lá? 1 dia inteiro?

    Obrigada!

    ResponderExcluir