quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Série Campeões de Audiência 2014 - Reprise 6



Logo nas primeiras postagens do Blog da Gavioli, escrevi sobre uma visita que os pais do Silas fizeram à minha casa, quando cozinhei para a família toda. Foi uma grande alegria. Muitas pessoas gostaram e até hoje me falam dessa receita. 


Para fechar o ano com chave de ouro, repito aqui mais um Campeão de Audiência de 2014.


Muito obrigada pela companhia em 2014. Cada palavra escrita aqui foi uma semente de paz que tentei plantar neste ano que termina hoje. 

Que a noite de Reveillon seja muito alegre, festiva, cheia de bons momentos com as pessoas mais queridas que estiverem por perto. Ser feliz em 2015, apesar de tudo. Essa é a escolha que desejo a você em cada um dos 365 dias que estão por vir. 

Visita da minha sogra (ah! e uma receita que dá certo)


Publicado em São Paulo, 8/maio/2014. 



***

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Série Campeões de Audiência 2014 - Reprise 5

Ter ido à zona equatorial este ano foi uma das minhas maiores emoções. Colocar os pés no rio Amazonas, nem se fala. Uma experiência das mais esperadas. Por isso, escolhi reprisar o post sobre esse encontro tão especial, o das águas cristalinas com as barrentas.

Lindo, lindo, lindo!



O encontro das águas dos rios Tapajós e Amazonas


Sobre o Pará, publicado em 7/outubro/2014. 

***

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Série Campeões de Audiência 2014 - Reprise 4

Quando um ano está quase acabando é quase inevitável pensar nas perdas e ganhos que tivemos. Assim como projetar desejos e votos para o ano seguinte.
Se pensarmos bem, são apenas datas a que atribuímos significados, mas os dias são como os demais. Só que o ser humano tem isso, ele atribui significados e as datas de virada são muito importantes para renovar a esperança, fazer planos, projetar-se.

2014 foi um ano de grandes ganhos pessoais, mas com perdas irreparáveis que vão deixar muita saudade. Num momento de grande dor pela perda de uma pessoa mais que querida, foi escrito o post que republico hoje. Uma homenagem à minha maneira.

Espero que gostem porque, apesar da dor, é uma crônica bem alegre, como foi a minha querida amiga Amélia. 

Começa hoje a festa no céu


Publicado em São Paulo, 5/novembro/2014.


***

domingo, 28 de dezembro de 2014

Série Campeões de Audiência 2014 - Reprise 3

O texto selecionado para a reprise de hoje foi escrito no dia em que se comemora a  Independência do Brasil, 7 de setembro. Eu estava em Itu e tive a melhor das surpresas quando encontrei uma caixa de madeira que estava no quartinho do quintal. 

Foi demais! Uma verdadeira avalanche de emoções.


Um baú de relíquias 


Publicado em Itu, 7/setembro/2014.


****

sábado, 27 de dezembro de 2014

Série Campeões de Audiência 2014 - Reprise 2

O segundo post escolhido para ser repetido tem a participação de um Convidado Especial, Luigi Marnoto. Ele escreveu sobre a vocação para a Gastronomia. Nada mais incrivelmente apropriado para quem decidiu, como eu, mudar de área, atendendo ao chamado interno para ser feliz!


Foi o post mais acessado do Blog da Gavioli em 2014. Um beijo enorme de gratidão para o Luigi. Espero que em 2015, ele aceite escrever de novo. Será um prazer tê-lo por aqui novamente.

Vale a pena reler.

Um nobre na cozinha por vocação


Publicado em São Paulo, 27/novembro/2014.


***

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Série Campeões de Audiência 2014 - Reprise 1

Para os últimos dias do ano, selecionei os posts mais acessados do Blog da Gavioli em 2014.  Interessante é que todos têm uma característica em comum: são emocionantes. É uma grande alegria pra mim poder ter compartilhado essas emoções. Valeu a pena a ousadia de começar essa empreitada.

Se você já os tiver lido, terá a chance de reler. Se ainda não o fez, acho que valerá a pena conhecer.

Todos os textos reprisados estarão com a data que foram publicados e para cada haverá uma referência do motivo pelo qual foi escolhido. Basta acessar o link para ler o original.

Como gosto de dar nomes, batizei a série de Campeões de Audiência. 

Em 2015, mais textos inéditos, com muito sabor, histórias de viagens, convidados especiais, sugestões de leituras e tudo o que é bom nessa vida.

Boas festas!

Clau Gavioli


Uma casa com luz natural e amor


Publicado em São Paulo, 3/junho/2014.



O primeiro post selecionado para a série Campeões de Audiência foi publicado em junho. Pra mim, o mais emocionante que escrevi em 2014. Chorei muito ao escrever... às vezes isso acontece.  Lembranças vivas do meu passado estão refletidas nas palavras porque a casa que descrevo é a da minha avó Angelina, onde moravam meus tios Divaldo, Aldemir, tia Dionízia  e ela.  Boa leitura!


***

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Presentes de Fim de Ano


Especial para a revista Malu



Hoje é terça e por isso tem nova edição da revista Malu nas bancas.  

Eu tive a honra de participar com o Blog da Gavioli  na revista durante todo o mês de dezembro, com ideias e sugestões para a série Casa pronta para o Natal  nas últimas três edições. Nesta terça, a dois dias da noite mais esperada do ano, lanço algumas dicas são de presentes do tipo feitos por você para agradar qualquer pessoa que os receba. 

Desejo a toda equipe da revista Malu e, de forma muito especial, a querida editora Gisele Peralta e a todos os leitores do blog que o Natal seja muito gostoso e divertido.  Assim como todos os nossos dias em 2015. 

Aproveitem a edição da revista Malu. 



Presente especial de fim de ano

Você vai visitar aqueles amigos ou parentes queridos e está sem dinheiro para comprar presentes, mas acha chato chegar sem nada nas mãos para oferecer? Muito nobre da sua parte.  Preocupar-se em agradar pessoas queridas é prova de que existe amor e amizade entre vocês.

Um gesto amável deve ser muito valorizado, ainda mais em dias de tão pouca gentileza quanto os que temos vivido ultimamente. Dar um presente é algo simbólico, assim como também é simbólico se sentir honrado e receber com gratidão. 

A boa notícia é que não precisa ser algo caro, nem tampouco comprado. Na onda do faça você mesmo, há ideias incríveis para agradar aos amigos.

Vou dar duas dicas bem simples de presentear com requinte. O presente vale tanto para uma só pessoa como para toda a família.

A primeira dica é um coulis (pronuncia-se:  culí)  de frutas. Fácil de fazer, o coulis é uma geleia de frutas com pedaços. Quem não se agrada ao receber um vidro de geleia? Ainda mais se tiver sido feito por quem presenteia, nossa! Que alegria!

Coulis de morangos



Ingredientes
½ caixa de morangos lavados, cortados ao meio e sem a folhinha verde
1 xícara (chá) de açúcar
½ xícara (chá) de água

Embalagem
1 vidrinho com tampa bem lavado e higienizado com um pano limpo e álcool

Modo de fazer
Bata 1/3 dos morangos no liquidificador com a metade da xícara de água. Leve ao fogo os  2/3 dos morangos cortados , todo o açúcar e os morangos batidos. Deixe em fogo baixo até atingir o ponto nappé (quando ao passar o dedo às costas da colher saída do líquido quente a marca o dedo não será imediatamente preenchida, deve estar fino e translúcido, sem caramelizar).  Deixe esfriar um pouco, despeje no vidro e tampe.  

Dica 1: Enrole o vidro em papel de seda branco ou em papel pardo. Não é preciso fazer embalagem de presente. Fica bem bonito presentear assim. Se não tiver nenhum dos dois, use um papel de presente reciclado. Agora é moda!

Dica 2 – A fruta pode ser substituída por uva, goiaba, manga, pêssego, laranja, pera, maçã. Crie com o que tiver em casa ou estiver baratinho na feira.


Bolo de fubá com cardamomo

Rendimento: 1 receita dá dois bolos em forma de bolo inglês, tamanho ideal para presentear

Ingredientes
4 ovos
2 xícaras (chá) de açúcar
2/3 xícara (chá) de óleo
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de fubá mimoso
1 copo de leite frio (não gelado)
1 pitada de sal
8 sementes de cardamomo
1 colher (sopa) de fermento em pó

Modo de fazer
Bata todos os ingredientes no liquidificador até levantar bolhas na massa. Despeje em forma untada e enfarinhada. Pode ser uma forma de pudim ou duas de bolo inglês. Asse em forno pré-aquecido a 180 graus por 40/45 minutos.  Desenforme quando já estiver morno.

Dica: Embale em papel manteiga quando o bolo já estiver quase frio. Fica lindo para dar de presente.

Não há quem não tenha em casa os ingredientes para fazer uma dessas receitas.  Basta um pouco de dedicação e cuidado. Se eu ganhasse um desses, ficaria muito, muito feliz.
Faça bonito. Preserve os bons modos e a gentileza. Tudo o que fazemos de bom coração faz bem a nós mesmos.


Boas festas!

sábado, 20 de dezembro de 2014

Qual é o seu aplicativo de gastronomia favorito?

Se há alguma dúvida sobre como estamos cercados de informação de comida em todo tipo de mídia, especialmente nas digitais, basta acessar um mecanismo de busca na internet e nele registrar um dos jargões do meio.  

Expressões como gourmet, chef, harmonização, guarnição, sommelier, mise en place e outros tantas estão presentes num infindável número de conteúdos digitais, seja em blogs ou canais de vídeo, em  newsletters ou sites de formatos cada vez mais criativos. 

Como o celular se tornou uma ferramenta que garante a qualquer pessoa  acessar os conteúdos de seu interesse em qualquer lugar e a qualquer hora, com seu uso massivo, a cada dia aparecem mais e mais novidades. Especialmente em relação aos diversos aplicativos para smartphones que oferecem maneiras atrativas para que o usuário se conecte. 

Como conteúdo, a gastronomia está no alto dessa onda. 

Há aplicativos de receitas, de vinhos e cervejas, de restaurantes, de entrega de comida, compras de produtos para cozinha e muito mais.

Qual é o seu favorito? 

Eu adoro alguns, mas o app meu favorito é o Tudo Gostoso. Quem não conhece? 



Escreva para o Blog da Gavioli ou mande email para mcgavioli@gmail.com. Vamos compartilhar os melhores aplicativos entre os interessados. Essa é a proposta de hoje. 

Bom fim de semana! 


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Contrafilé ao molho de cebolas caramelizadas


Especial para o Clube dos Vinhos


Cozinhar está na moda. Isso ninguém nega. São tantos programas culinários na TV, matérias em jornais e revistas, publicações especializadas, sites, blogs, newsletters, cursos de gastronomia que não dá para acompanhar tudo. Por isso, as pessoas elegem aquilo que mais faz sentido para elas e se tornam seguidoras, assinantes, ou seja, participam e influenciam diretamente os conteúdos que elas mesmas vão acessar.



Mas como bem registrou Michael Pollan, “nunca se falou tanto em comida e se cozinhou tão pouco”.  Talvez porque as pessoas ainda achem que é difícil ou demorado demais cozinhar o próprio alimento. O que não é absolutamente verdade, mesmo que você não seja a pessoa mais afeita à cozinha. Isso posso garantir.

Qualquer pessoa com um pouco de vontade pode executar uma refeição linda e saborosa, seja para comer sozinha ou para confraternizar com outras pessoas, no dia a dia ou em ocasiões especiais.
Um sábado desses passados, criei uma receita que ficou incrível e agora divido com vocês, porque é um prato fácil, rápido, muito saboroso.  Além de ser perfeito para uma harmonização com vinho tinto.  

Extremamente versátil é um preparo que atende bem em qualquer situação, seja para um serviço de mesa do tipo prato pronto individual (o que chamamos  “empratado”)  ou para um table d’hote, serviço no qual as travessas são colocadas sobre a mesa e as pessoas se servem de acordo com o apetite de cada um.

No entanto, o equilíbrio dos ingredientes favorece uma montagem individual, que é muito charmosa mesmo que você esteja recebendo vários amigos em casa.  Montar cada prato como se estivessem num restaurante é uma delicadeza do anfitrião, especialmente, se foi ele o chef  naquele dia.
A sugestão é de um prato à base de carne vermelha que equilibra proteínas, carboidratos, lipídios ou gordura, vitaminas e sais minerais. Para tornar a refeição completa, recomenda-se que também haja  uma fonte de  fibras. Neste caso, uma salada de folhas amargas de entrada pode ser uma ótima sugestão.

Contrafilé ao molho de cebolas caramelizadas



Tempo de preparo: 30 minutos até servir

Ingredientes

Contrafilé
·         220 gramas de contrafilé
·         Sal e pimenta do reino (o quanto baste)

Cebolas caramelizadas
·         150 gramas de mini cebolas descascadas
·         30 gramas de manteiga sem sal
·         30 ml de mel
·         30 ml de whisky

Guarnição:

Batatas salteadas com alecrim
·         4 batatas médias descascadas e cortadas em cubos médios
·         Água (suficiente para cozinhar as batatas)
·         Sal grosso
·         3 ramos de alecrim (use só as folhas)
·         20 ml de azeite de oliva extravirgem


Utensílios necessários: grelha para a carne, frigideira do tipo sautoir  (com bordas altas) para as cebolas e panela sautese  (borda baixa) para as batatas.

Modo de fazer

Tempere o contrafilé com sal e pimenta e reserve. Quando os demais preparos estiverem quase prontos, leve para a grelha pré-aquecida bem quente por cerca de dois minutos de cada lado.
Leve a sautoir ao fogo e nela coloque as cebolas.  Deixe que suem por uns três minutos até que fiquem brilhantes. Coloque então a manteiga.  Assim que a manteiga derreter, junte o mel e o whisky. Mexa para que os ingredientes se incorporem e o álcool evapore. Depois tampe a panela e deixe cozinhar por aproximadamente 20 minutos.
Cozinhe as batatas para que atinjam textura al dente.  Retire do fogo, escorra a água e interrompa o cozimento com água fria. Na sautese, coloque uma mistura de sal grosso e alecrim. Acenda o fogo e deixe incensar por alguns minutos. Junte as batatas cozidas e o azeite. Salteie por dois minutos.

Montagem do prato

A carne deve ser parcialmente coberta pelo molho de mel, numa proporção de um terço.  Em extensão do molho, sirva as cebolas e ao lado as batatas salteadas. 


(Artigo publicado no site e na revista do Clube dos Vinhos em dezembro/2014.)


Serviço:  

Clube dos Vinhos  -  www.clubedosvinhos.com.br

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Salada de Natal

Especial para a revista Malu


Hoje tem nova edição da revista Malu nas bancas e mais dicas do Blog da Gavioli na série Casa Pronta para o Natal.  

A experiência de escrever para a revista tem sido muito bacana. Fiquei realmente muito honrada por ter essa oportunidade. Meu desejo sincero é que as leitoras da Malu tenham gostado das dicas e também do blog.

Obrigada pela chance, querida Gisele Peralta!









Salada de grãos 

(Especial para o Natal) 


A festa de Natal tem causado preocupação porque você e sua família vão participar da festa na casa da sua sogra ou da sua cunhada e o combinado é que cada um terá que  levar um prato? Não sabe o que fazer? Tem medo de errar ou fazer feio?

Com as dicas incríveis de hoje você impressionar todo mundo este ano.  Vai fazer tanto sucesso que no ano que vem  vai ter que repetir ou se superar!

No Brasil, o Natal cai logo nos primeiros dias de verão. Quase sempre a noite é quente e, às vezes, chega até a ter uma chuvinha, tamanho é o calorão do dia inteiro. Para fazer bonito com um preparo especial para essa festa de família (e de amigos que são tão queridos quanto a família), em que a temperatura é alta,  nada melhor que uma salada bem colorida, refrescante e bem diferente. Sem falar que ela é muito nutritiva e apropriada, já que, se sobrar, pode ser reaproveitada no dia seguinte sem que pareça resto de comida.  Eu digo que essa salada, aguenta bem voltar pra mesa e fica até mais gostosa.

O preparo é demorado porque são muitos ingredientes para picar. Mas é tudo muito fácil e vai ficar um prato multicolorido, com excelente rendimento e totalmente inovador. Não tem chance de dar errado.


Salada de grãos

Ingredientes

1 e 1/2 xícara (chá) de arroz sete grãos cozido 
1 xícara (chá) de lentilhas cozidas 
1 xícara (chá) de grão de bico cozido 
1 cebola roxa grande picada
2 tomates com pele e sem sementes picados
1 talo de salsão picado
1/3 de pimentão verde, 1/3 pimentão vermelho e 1/3 pimentão amarelo, todos picados
25 gr de aliche picado
1 colher (sopa) de gengibre picado
1 dente de alho amassado
3 colheres (sopa) de cheiro verde picado
1 pimenta dedo de moça sem sementes picada
1/2 xícara de nozes picadas
1/2 xícara de amêndoas laminadas e torradas
2 colheres (sopa) molho de mostarda Dijon
1/4 xícara de vinagre branco (pode ser vinho branco seco)
1/2 xícara de azeite
Sal a gosto
Gergelim torrado para decorar

Modo de preparo: 

Em água com sal, cozinhe separadamente o arroz sete grãos, o grão de bico e a lentilha (porque cada um tem um tempo de cozimento diferente) até que fiquem com consistência al dente. Espere esfriar e junte-os a todos os demais ingredientes pela ordem. Junte os temperos, a mostarda, o vinagre branco, o azeite e corrija o sal.  Leve à geladeira por cerca de duas horas antes de servir. 

Dicas

·         Para deixar a sua salada mais bonita e apetitosa, tome o cuidado de deixar os cortes com tamanhos parecidos, de preferência bem pequenos. 

·         Use uma saladeira bem bonita para por esse preparo, a que você mais gostar. Isso demonstra carinho para com as pessoas que vão comer.

·         Não deixe de levar um pequeno regalo (presentinho) para a dona da casa, independente do presente de Natal ou do amigo secreto. Pode ser um temperinho feito por você, uma tacinha, um desenho feito pelas crianças. Esse é um mimo que quem abre as portas de casa para receber pessoas merece a mais. 


·         Prepare-se de corpo e alma para desfrutar de uma festa alegre e cheia de amor.  Contagie o ambiente com a pureza dos bons sentimentos que partem do seu coração. Sua festa será inesquecivelmente boa.

Capa da edição 651 - dez/14


domingo, 14 de dezembro de 2014

Caçarola italiana e manjar branco

Há alguns meses publiquei aqui no blog duas edições de Sobremesas de Familia.

Como as festas de fim de ano já chegaram e esse casal inseparável não pode faltar na mesa de doces, achei por bem repetir as receitas.  Para quem quiser ver os post antigos, nos quais contei um pouco da história dessas receitas da minha avó materna e que a minha mãe faz divinamente, seguem os links para facilitar a busca.

Sobremesa de familia 1

Sobremesa de família 2


Mãos à obra!

Caçarola italiana (pudim)

Ingredientes 

- 5 ovos inteiros
- 1/2 kg de açúcar refinado
- 1 garrafa (medida de garrafa de cerveja) de leite
- 5 colheres (sopa) de queijo mineiro ralado (não pode ser de pacotinho, tem que ser ralado na hora)
- 5 colheres (sopa) de farinha de trigo - bem cheias

Modo de fazer
Bata os ovos com o açúcar, acrescente o leite, o trigo e o queijo ralado. Asse em banho-maria em forma caramelizada com açúcar bem queimadinho por cerca de 70 minutos. 

Esse pudim pode ser desenformado ainda quente.  Depois deixe-o esfriar e, de preferência, sirva no dia seguinte. 


*****

Manjar Branco com calda de vinho e ameixas pretas



Ingredientes 

Massa do manjar
1 1/2 litro de leite
1 vidro de leite de coco
2 xícaras (chá) de açúcar
6 colheres (sopa) de amido de milho - bem cheias

Calda
1 1/2 xícara de vinho tinto
4 colheres (chá) de açúcar
água
ameixas pretas com caroço

Modo de fazer: 

Ponha o leite para ferver, acrescente o açúcar e o leite de coco. Quando levantar fervura, acrescente o amido de milho dissolvido numa pequena reserva do leite. Mexa sem parar. Quando começar a engrossar, continue mexendo para que não grude demais no fundo da panela. Serão cerca de 5 minutos para o cozimento da maisena. Desligue o forno e despeja numa forma de buraco molhada com ameixas distribuídas no fundo.  Deixe endurecer por cerca de 2 horas ou até esfriar. Desenforme no recipiente em que vai servir. Deve ser fundo o suficiente para que a calda que será colocada por cima não derrame. 
Para fazer a calda, junte todos os ingredientes numa leiteira e leve ao fogo, até dar ponto de calda. Depois de fria, derrame sobre o manjar. 

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Sorvete de banana

Na publicação de ontem, mencionei um sorvete de banana e muita gente deve ter pensado que depois me esqueci dele. Mas não foi isso, não.

Como hoje é sexta-feira, deixei para escrever essa receita porque ela é muito, muito, muito difícil... rsrs Brincadeira. Não tem erro e é muito saudável.

Aprendi com a minha queridíssima professora Janaína Suconic. Ela é super experiente e tem ideias pra lá de interessantes. No entanto, ela ensinou a base e eu pus um toque de bebida alcoolica. Ficou muito bom!

Sorvete de Banana com licor de whisky e castanha do Pará

Ingredientes

3 bananas nanicas bem maduras sem a casca e os fios cortadas em pedaços
2 colheres de licor de whisky (Drambuie)
10 gramas de xerém de castanha do Pará

Modo de fazer

Congele as bananas (no mínimo 3 horas no congelador, até que fiquem bem duras). Bata as bananas no liquidificador ou no processador de alimentos até transformar num creme. Isso vai demorar uns oito minutos no liquificador. Não desista se tiver que parar várias vezes o liquidificador até que consiga bater tudo e transformar num creme homogêneo. Acrescente o licor e bata por mais alguns segundos. Polvilhe o xerém de castanha do Pará sobre o sorvete já na taça em que será servido.









Difícil, não? Coisa de preguiçoso... que nada! Sobremesa de gente esperta e criativa.

Se quiser saborizar com morangos, mangas, quiwi ou outra fruta, basta acrescentar as frutas escolhidas na receita. Simples demais. E delicioso!

Boa sexta! Bom fim de semana!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Cuscuz marroquino (para Clarice e Meire)

Pensou, pensou, pensou... Resolveu enfim o menu do dia. Faria frango de panela, finalizado no forno para ficar bem douradinho e brilhante, cuscuz marroquino com frutas secas e castanhas caramelizadas e para guarnição uma abobrinha refogada com vinho branco. 

Foi ao supermercado no dia anterior e comprou o que poderia estar faltando de ingredientes para executar um preparo ao mesmo tempo caseiro, um tanto especial.  

Marcou o almoço para um dia depois da faxineira para que a casa estivesse impecável: arrumada, limpa e cheirosa, como só a Maria sabe deixar depois da faxina semanal. 

De manhã, logo que acordou, providenciou para que as bananas nanicas bem maduras descascadas e cortadas em pedaços fosse para o congelador, prevendo no mínimo três horas até o almoço (embora até a sobremesa fosse bem mais tempo, quem sabe cinco horas). As bananas são base para o sorvete caseiro que aprendeu com uma professora muito especial. 

Passou tinta no cabelo e foi à adega onde escolheu um vinho tinto especial, um português, e lembrou-se então, falando com o marido, que já havia um branco chardonnay gelado, caso fosse essa a preferência das convidadas.  Mas seria melhor manter os dois à disposição. 

Descongelou as coxas e sobrecoxas de  frango, limpou, separou uma parte da outra e temperou bem com sal e pimenta. 

Aí resolveu ligar para confirmar o almoço com as colegas tão queridas, Clarice e Meire e ficou sabendo que não ia rolar... Um tal evento foi marcado para o início da tarde e minou a possibilidade de se encontrarem para esse almoço fraternal.  Chato... mas acontece. São os ossos do ofício de quem faz eventos, em especial os do Governo. Tudo decidido em cima da hora. O princípio do anti-evento, mas, no fim, tudo dá certo e os chefes ainda pensam que foi moleza. 

Não faz mal por que as pessoas sempre tem ainda muitos dias na vida para se ver, para cozinhar, brindar a vida e a convivência com tanto carinho e afeto. Só que desta vez, não deu certo. Mas o almoço... ah! esse saiu.   E a tinta do cabelo, assim que deu o tempo, ela tirou. Ficou com cabelos lindos... todos os fios brancos completamente cobertos. 

A receita do frango veio do Blog da Gavioli, do post O segredo do franguinho de panela. A abobrinha foi uma apropriação de parte de um preparo de um bolo que costuma fazer, uma boa receita, por sinal. Mas, e o cuscuz marroquino? Esse é o da receita a seguir: 


Cuscuz marroquino com castanhas e frutas secas


Ingredientes
1 xícara (chá) de cuscuz marroquino (farinha de sêmola)
1/2 xícara (chá) de caldo de galinha
1/2 colher (sopa) de manteiga
20 gramas de amêndoas em lascas
20 gramas de castanhas de caju picadas
20 gramas de uvas passas brancas
2 damascos secos picados em brunoise
1 fio de azeite de oliva

Modo de fazer

Misture o três primeiros ingredientes e deixe-os descansar por 5 minutos em recipiente tampado. Depois desse tempo, o cuscuz estará hidratado, então deve ser usado um garfo para soltar a farinha e deixar o cuscuz bem leve. Se preciso, deve-se acertar o sal. 
Numa frigideira, torre os castanhas de caju e as lascas de amêndoas até que fiquem escurinhas. 
Misture todos os ingredientes da receita e acrescente um fio de azeite para equilibrar. Isso também vai facilitar na montagem do prato individual, caso  queira usar um aro para servir uma porção bem bonita. 

Harmonização: Vinho Virtude, Chardonnay, 2012, Vinícola Salton - Leve, aromático, delicado.

PS: Claro que a personagem sobre a qual se fala no texto sou eu. Mas quis fazer uma graça e escrever diferente hoje. 

PS 2: Clarice e Meire, da próxima que a gente combinar, elaborarei um outro menu. Espero vocês em qualquer tempo! 








terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Tempo de festa em casa: preparação e recepção

Hoje é dia de revista Malu nas bancas e com ela chegam dicas especiais sobre como preparar a casa para receber a família e os amigos nesse período de festas.  

Esse é um assunto que eu gosto muito, então, vira e mexe, publico observações a esse respeito. Foi por isso que quando combinamos minha participação na revista Malu para o período de fim de ano, Gisele Peralta (um orgulho de editora) e eu, pensamos numa série para tratar dessas "amenidades" tão importantes! 

Espero que sejam dicas úteis e que todos curtam a publicação na revista. É a que traz a Cristiane Torloni na capa. Que honra a minha. 


***


Festa em casa: preparação e recepção




Sei lá porquê, como é  fim de ano, vem uma sensação que nos obriga a ver todo mundo, encontrar, presentear, confraternizar. Como se no ano seguinte não fosse haver mais chance. Coisa que a gente sente porque é humano.

Já que o sentimento é esse, vem a correria para encontrar cada uma das pessoas queridas, como se em apenas duas semanas, no máximo três, fosse possível ver todos os que amamos. É um período muito curto, não dá! Especialmente se a gente acumula amigos em várias cidades, dos diversos empregos que tivemos...  

Teve ano que eu  cheguei a fazer uma escala na minha agenda. Tinha dia com tanto compromisso que não bastavam  os horários de café da manhã, almoço e jantar. Inventava  chazinho da tarde, happy hour e balada, num só dia. Pode?

Até que achei um jeito de ver quase todo mundo ao mesmo tempo. Resolvi chamar os amigos para num só dia fazer uma grande confraternização. Desde então, foram poucos os anos que não houve uma festa pré-Natal na minha casa.

Confesso que é uma trabalheira enorme. Preparar comidinhas, comprar bebidas, arrumar a casa, providenciar copos, toalhas, guardanapos, facas, louças, música, enfeites , lembrancinhas  e,  um ou outro presente  sempre é preciso comprar. Mas vale a pena.

Para quem, como eu, gosta de receber os amigos em casa, fiz uma lista de itens e dicas.  A mais curta possível porque cada um tem um jeito de fazer as coisas.
  • Convites:  por email, telefone, facebook, whatsApp, carta, telegrama, pessoalamente ou por  sinais de fumaça. É preciso avisar as pessoas para que elas se programem. Antecedência mínima nessa época e para festas bem informais de 15 dias. Não vale se chatear se a pessoa não puder comparecer se convidar muito em cima da hora, combinado?
  • Arrumação da casa – planeje o que vai fazer e divida as tarefas de modo a chegar no dia da festa com a casa arrumada. A faxineira não deve vir no dia da festa. Cuide para que ela venha até o dia anterior para que, caso ela lhe dê um cano, haja uma noite pra você se virar. 
  • Compras de bebidas – compre ou encomende a entrega para ter antecedência suficiente para gelar. Se for no refrigerador, pelo menos dois dias. 
  • Gelo – passe uma hora antes da festa no posto de gasolina onde vende  e leve pra casa. Ou, confie a missão ao amigo que você sabe que vai chegar antes de todos os demais convidados.  Reserve espaço para o gelo. 
  • Comidas – se você é quem vai preparar, planeje seu tempo adequando-o ao seu ritmo. Se for comprar ou encomendar, leve em conta se serão comidas frias ou quentes e como devem ser acondicionadas até o momento em que serão servidas.  Para festas informais, prefira finger foods, comidinhas para comer com as mãos e que não exigem talheres e mesas (exceto para apoio e para servir). 
  • Para calcular a quantidade de comida, considere o horário da festa, a faixa etária dos convidados, a duração do evento e qual é o tipo de cardápio que será oferecido. Garanta que sobre um pouco de comida. Faltar nem pensar! Reserve uns patês e pães ou uns amendoins para o caso de vir mais gente que o esperado.  
  • Não é feio deixar que as pessoas contribuam com a comemoração trazendo alimentos e bebidas. Mas o dono da festa deve providenciar víveres para o caso de ninguém trazer nada e ajeitar tudo o que chegar dos convidados para que seja consumido ainda durante a festa. Quem trouxe,normalmente, o fez de coração e quer provar do que trouxe e saber se agradou. Fique atento!

  • Copos e guardanapos – providencie ao menos uma vez e meia o número de copos e duas vezes a quantidade de guardanapos em relação ao número de convidados da festa. Esses itens não podem faltar. 
  • Cadeiras, poltronas, sofás, banquinhos e móveis de apoio – para uma festa de pessoas jovens, entre 10 e 25% do número de convidados é o número de assentos que você precisa ter disponíveis. Em caso de pessoas idosas, é preciso ter, no mínimo, o mesmo número de cadeiras e confirmados para o evento. Deve haver assentos suficientes para que todos se acomodem ao mesmo tempo. Não é permitido overbooking! 
  • Banheiros: não esqueça de ter papel higiênico e sabonete suficientes para todo o período da festa, nem deixe de colocar uma ou mais toalhas para secar as mãos.  É gentil ter absorventes, comprimidos e fio dental numa caixinha perto da pia ou sobre ela, para o caso de alguém precisar. 
  • Música: para animar é preciso ter uma boa seleção que dependerá do gosto do grupo, mas não pode faltar música. 

  • Aviso aos vizinhos/porteiros: comente que receberá amigos com aqueles que podem se incomodar com o barulho e o entra e sai. Sendo gentil e informando as reclamações, caso venham a ocorrer, serão mais amenas e condescendentes decerto.

  • Bem receber: banho, perfume, maquiagem e roupa de festa – receba bem seus amigos e aqueles que por ventura venham com eles. Sempre cabe mais um numa festa e, às vezes, descobrimos ótimas pessoas em ocasiões inesperadas.  Coração aberto e generosidade são indispensáveis.




  • Mantenha o controle: abra você mesmo  a porta da sua casa, fale com todos  pelo menos um pouco, inicie assuntos e integre as pessoas às conversas.  De vez em quando, verifique a arrumação e se há copos para todos e se estão à vontade para se servir. Dance, abrace, festeje, brinde!


Importante: não permita que destruam suas coisas. Há pessoas e pessoas no mundo, inclusive entre os amigos. Se notar inconvenientes, seja claro sem ser rude. Você não deve permitir que quebrem coisas, fumem em local não autorizado, ponham os pés nas paredes ou causem constrangimentos a outros convidados. Na sua casa quem dá o tom é você. Com doçura e boa educação você pode dizer qualquer coisa. Não permita que ninguém estrague a sua festa! Boa comemoração! 

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Pé de moleque da tia Neide

Um dos doces mais gostosos que eu conheço é o tal pé de moleque. O da tia Neide, então, nem se fala a delícia que é.  De leite condensado, com amendoim torrado em casa. No ponto certo, sem caramelizar demais, bem macio e crocante. 

Ontem, domingão de calor lá em Itu, foi dia de tirar a coleção de papais noeis da minha mãe de dentro das caixas que ficam durante quase o ano todo na parte de cima dos armários e dar vida a todos eles na mesinha da sala de visitas da casa dela. São mais de 20 bonecos barbudinhos, cheios de charme e com a barriguinha avantajada, quase sempre vestidos de vermelho, que à base de pilhas ou baterias, se mexem, cantam, tocam instrumentos, andam de bicicleta, enfim... fazem de tudo. 

A minha mãe adora papai noel. Se quiser agradá-la, ache um bem bonito e mande de presente. Na noite de Natal ou em alguma situação em que estejamos por lá, ao menos parte da família reunida, ela liga todos ao mesmo tempo. Uma doideira super barulhenta, mas muito gostosa. O mais legal é que cada membro da coleção tem uma história, uma façanha qualquer que, ontem, até decidimos catalogar, a Bruna e eu, para que com o tempo a gente não perca as datas e o registro de quem presentou ou como aquele papai noel chegou até a dona Neuza. Não fizemos isso ainda, é um plano a ser executado!

No meio disso tudo,  graças às musiquinhas de Natal e a saudade que era grande, decidimos ir visitar a tia Neide na casa dela. Fazia tempo que não nos víamos e todas nós, a Cris, a Bruna, a Giovana, minha mãe e eu, estávamos saudosas e há tempos combinávamos a tal visita, mas nunca dava certo. Ontem deu! 

Ligamos pra ela para avisar que iríamos, já que, por mais intimidade que se tenha hoje em dia, é de bom tom avisar, principalmente, para que o anfitrião não seja pego de surpresa, ainda mais num domingo à tarde que é dia do sagrado descanso das pessoas. Antigamente, as visitas eram mais frequentes, de modo que as pessoas não estranhavam quando chegava um parente ou amigo. Mas isso mudou muito de uns 20 anos pra cá. Agora, em tempos de facebook e internet, todo mundo sabe de todo mundo, mas as visitas são poucas. O que não significa que não as pessoas não sejam bem-vindas. Ao contrário, encontrar pessoalmente quem a gente ama preenche o coração de alegria. A gente sorri de verdade, porque o afeto é um alimento maravilhoso para a alma. 

Quando chegamos na casa da tia Neide e do tio Durvalino, foi uma alegria geral. Quanto abraço apertado nós trocamos! Uma delícia. Ela é muito calorosa e a nossa tia mais amada.  Ele é divertido, espontâneo, cheio de vida.  

Tenho tantas boas lembranças desses tios... quanta manga eu chupei na casa deles... Teve uma época que a Cecilia, minha prima filha deles mais velha, e eu vivíamos pra cima e pra baixo juntas. Ela até morou comigo um tempo aqui em São Paulo. Minha prima querida... todos os porteiros a anunciavam assim: "a sua irmã está aqui" de tão parecidas fisicamente que somos. 

Bom, o título do post de hoje é Pé de Moleque, mas o da tia Neide porque só ela sabe fazer esse docinho tão especial. Além do que, no período do Natal, às vezes na Páscoa, ou em alguma ocasião especial, que ela resolve presentear as pessoas, vai para cozinha e faz várias receitas. Depois corta em quadradinhos pequenos, coloca nuns saquinhos delicadamente coloridos ou estampadinhos, fecha com fitilho ou laço de fita e adesivo de presente de acordo com a ocasião. Aí, ela visita as pessoas que ama entregando os docinhos que são simplesmente irresistíveis. 

Além do pé de moleque de leite condensado, agora até existe industrializado, chamam de pé de moça, ela às vezes faz rapadurinha de banana ou de coco ou docinho de leite. É uma loucura de bom. 

Mesmo sem saber que íamos visitá-los, ela já tinha feito os docinhos que nos daria de presente esse ano. Aí foi aquela surpresa boa quando apareceu com vários pacotes cheios de pé de moleque ainda sem amarrar os laços (o que foi feito antes que saíssemos para que pudéssemos levar) que nos seriam em alguns dias dados de presente.  

Esse gesto da minha tia é algo que admiro profundamente e tento copiar, embora não o faça com tanto charme. Levar um presentinho feito por você mesmo como um docinho, uma geleia, um pãozinho, para quem você gosta, é uma atitude muito elegante porque pode ser singela, mas é cheia de significados de amor, cuidado, carinho. Só coisas boas. 

Foi uma tarde adorável. Minha tia contou que no sábado comeceu a arrumar a casa para o Natal. Mas já estava tudo tão bonito que parecia pronta a arrumação. Ela mora numa casa linda, espaçosa e muito confortável. Os enfeites natalinos já estavam nos lugares planejados para deixar tudo bem alegre e divertido para o Rafael, netinho deles, filho da Cássia, na casa do vovô e da vovó. 

Eu vou escrever a receita do pé de moleque, mas igual ao da tia Neide, não será. O dela é único. Espero, contudo, que o gesto dela seja aprendido e replicado. Se você fizer pé de moleque ou qualquer outra coisa, pode ser que você não curta cozinhar, pode ser uma caixinha, um vidrinho decorado, um enfeitinho de tricô ou de tecido, seja lá o que for, e presentear com afeição,  isso, sim, vai ser delicioso. 

Bom início de semana. 


Receita de pé de moleque de leite condensado




Ingredientes

500 gramas de amendoim torrado (se preferir, pode ser sem casca)
1 lata de leite condensado
1 xícara (chá) de açúcar refinado


Modo de fazer
Leve todos os ingredientes ao fogo em panela de fundo grosso. Mexa até dar ponto. Despeje numa superfície fria e lisa. Com uma espátula ou pão duro, estique a massa para que fique lisa fazendo uma camada de cerca de 2,5 centímetros. Deixe esfriar um pouco e corte os quadradinhos com a faca molhada. 


A familia e os doces. O Silas fez a foto.