quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Ambrosia


Convidada especial: Silene Bastos


Nessas guinadas da vida, a gente encontra gente nova, graças a Deus! Gente com garra, vontade e sabedoria, não importa a idade. A Silene é um desses novos achados da minha vida. Jovem e cheia de qualidades, ela é estudiosa, dedicada e ama cozinhar. Por isso, eu tenho a honra de apresentá-la como convidada especial do blog nesta quinta-feira. É dela o texto de hoje. Apreciem! 



O doce dos deuses pelas mãos da mamãe


Aguardo ansiosamente por cada visita da minha mãe ao nordeste, Bahia ou Pernambuco! Mais especificamente por um motivo que, para mim, é único e retrata o sabor doce da minha infância: a ambrosia da dona Lita. 

Nessa última viagem não foi diferente, fiz questão de buscá-la no aeroporto para já ter certeza de que o doce acompanhava a bagagem que ela trazia.

O doce à base de leite, açúcar e ovos possui uma textura fofa e ao mesmo tempo arenosa ao céu da boca. Segundo a mitologia grega, o doce era conhecido como “Manjar dos Deuses” e dono de um sabor divinal. A iguaria era tão poderosa que se um mortal a comesse ganharia a imortalidade e ao experimentá-la sentiria a sensação de extrema felicidade.

Como sabiamente os deuses diziam, o sabor é sublime! 

É possível encontrar o doce em vidros como as compotas nos mercadões e em alguns supermercados da cidade, porém lhes digo que o caseiro, ou melhor dizendo, a ambrosia da minha mãe, não se compara a nenhuma industrializada.  Pode parecer, mas não é papo de filha coruja e orgulhosa da mamãe (não que eu não seja uma dessas), mas já apresentei e ofereci o doce para vários amigos e conhecidos e sempre ouço a mesma reação: uma sequência longa de huuuuuummmmm seguido da afirmação “é a melhor que já experimentei até hoje”.

Há para todos os gostos, a ambrosia mais clara traz um sabor mais leve e não possui tantas “pelotas”. A de cor média (minha favorita) é o doce que leva um pouco mais de tempo no fogo, sendo assim ele fica mais denso, mas ainda não perde a leveza do ponto anterior. Por fim, a ambrosia escura, que possui um sabor mais marcante e pelotas mais firmes, muito saborosa, entretanto é um pouco mais enjoativa quando em grades quantidades - digamos que este ponto seria para aquele doce do qual se come apenas algumas colheradas, mas diversas vezes no dia.

Como sou fã de ambrosia, sempre que encontro em algum lugar, vou logo experimentando. Confesso que nenhuma é igual a outra, até porque a origem dele aqui no Brasil ainda é bem dividida. Há quem diga que é mineiro, gaúcho, goiano e baiano, como afirma, com toda certeza, minha mãe.

Essa é uma discussão que pouco importa. O fato é que esse doce de ingredientes simples, para quem aprecia uma ambrosia bem feita e, portanto, sabe exatamente do que estou falando, é mesmo dos deuses!

Para quem ficou com vontade e quiser se arriscar numa delícia de doce, aí vai a receita que consegui arrancar da dona Lita:

Ambrosia
Ingredientes

  • 1 litro de leite puro
  • 1 quilo de açúcar
  • 6 ovos
  • Canela em pau a gosto
  • Cravo da índia a gosto


          Modo de preparo:
  • Em uma panela grande, coloque o leite, a canela, o cravo e o açúcar. Leve ao fogo médio até começar a levantar fervura. O leite irá talhar.
  • Bata as claras em neve e depois acrescente a gemas, reserve.
  • Depois que o leite talhar, faça corte com uma faca como se estivesse fatiando um bolo, em seguida acrescente as claras reservadas e, com cuidado, mexa até que tudo se misture. Durante o processo de apuração do doce, repita o processo de cortes no leite para que o doce forme os gomos.
  • Deixe apurar em fogo baixo até obter a cor desejada da ambrosia. Sirva frio.
       
Espero que gostem tanto quanto eu!

Até a próxima.


Sobre a convidada: 





Silene Bastos - é uma jovem jornalista paulista de 23 anos apaixonada por comida brasileira. Estudante de gastronomia, adora produzir doces. Segundo ela, escrever, ler e cozinhar são suas terapias e, quando consegue unir tudo, a felicidade está completa. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário