sábado, 14 de fevereiro de 2015

Livros para o Carnaval

Esta semana descobri quase sem querer o Blog da Companhia da Letras que tem informações, textos, colunistas, resumos, comentários, coisas fantásticas! Engraçado é notar que mesmo sendo super antenado, pesquisando um montão todos os dias, ainda assim a gente demora para descobrir coisas tão legais e que já existem faz tempo.

Só pra dar uma ideia, há uma post bem apropriado para o dia de hoje. São sugestões de livros para ler no Carnaval. Quanto às sugestões, que não são minhas, a avaliação é de cada um sobre se deve seguir ou não. Mas acho que tá valendo dar uma olhada, ao menos como porta de entrada para o blog.  Esse é o link: 

http://www.blogdacompanhia.com.br/2015/02/14-titulos-para-ler-durante-o-carnaval/

E, falando em livros... 


Você entra na loja é tá tudo lá disponível. A prateleira de livros (em especial, pra mim, de culinária e gastronomia) está abarrotada de títulos. Qual levo pra casa? Tem algum que me agrada mais? Alguma referência de leitura de alguém que considero crítico o bastante para sugerir algo que valha a pena? Ou vou simplesmente acreditar na sinopse de algum jornal vinda do press-release da editora? Posso também me encantar pelo que está escrito na orelha da publicação. Vou dar uma folheada...

Já cheguei a comprar livro só por consideração a quem escreveu o prefácio. E por confiança, claro. Normalmente, prefácio de gente famosa tem a ver com qualidade ou com boas relações. Não deve ser muito simples ser convidado para prefaciar uma obra e, mesmo achando que é uma droga digna de ser posta no lixo, ter que escrever que a coisa presta. Haja jogo de cintura nessa situação.

Por outro lado, às vezes, existem livros cujos conteúdos são um deleite. Poder fazer uma breve amarração de tudo o que leu, dando informações sobre o autor e viajando nas palavras entre elogios e reflexões, ah! isso deve ser bom demais. Eu adoraria. Já imaginou prefaciar uma obra do Machado de Assis? Atemporal, unânime, virtuoso. Nossa, entrei em devaneio...

Decidir o que levar pra casa para acompanhá-lo na sua cama, quando você já se prepara para dormir, requer critérios, quase sempre voláteis. Por exemplo: boa capa, história interessante, palavras calmas, livro de no máximo peso médio, fontes de tamanho razoável para meia luz e tantos outros. 

Tive um momento da minha vida, quando eu morava sozinha, que me dediquei a ler romances policiais, entre os gêneros, um dos meus confessadamente preferidos. Gosto também de biografias, romances, literatura infanto-juvenil (amo!).  Certo dia, um amigo muito querido, sabendo da minha predileção momentânea pelo gênero,  me emprestou vários romances policiais. Entre eles, um cujo protagonista matava mulheres que moravam desacompanhadas explorando requintes de crueldade, todos descritos em detalhes. Ah! Quem disse que eu conseguia dormir? E como me livrar daquilo? Os romances policiais têm roteiros previsíveis, de modo que eu só poderia me livrar da situação se terminasse o livro... Foram dias de angústia e medo.


Li os sete! 

Em compensação já sonhei muitas vezes com Hogwarts, quando lia Harry Potter... 











Fui ao Rio de Janeiro dos anos 60, lendo Nelson Rodrigues. E vi que o "anjo" não é nada pornográfico.











Bentinho, Capitu e Escobar são
 meus velhos amigos 
Fui amiga íntima de Capitu, tantas foram as vezes que li Dom Casmurro







Morgana...
Li As Brumas de Avalon na minha primeira viagem para a Europa e viajei duas vezes numa tacada só.  







      
4a. edição. Li a primeira. 
Tem um livro cuja edição achei que estava esgotada, lembro-me ter lido na Bahia, numas férias passadas em casa de Renata. Era tão empolgante a ponto de me fazer deixar o sol lá fora e ir para o Oriente Médio em busca do Santo Graal, transportada pela palavras. Lembrei-me só agora do titulo porque busquei na internet : Os Mistérios de Jerusalém, de Marek Halter. 




     
Minha paixão atual

No momento, estou apaixonada pela Sophia Loren. Já chorei, já ri, já voltei várias vezes para ler trechos tão delicadamente traduzidos da história que ela conta como sua, que nem sei como não os decorei. Esse vai ser um daqueles livros que vou ter pena de acabar. A gente sente saudade.  Aí tem que repor o livro, achar outra estória. Pior é que o seguinte quase nunca tem o mesmo charme, pelo menos até a paixão crescer novamente. 

E você, qual o seu livro para este Carnaval?  

Nenhum comentário:

Postar um comentário