terça-feira, 17 de março de 2015

Sabor e Conversa Entre Amigos



Revista Bem Mulher, edição número 04


Sonho antigo, desde menina, era ser colunista de uma revista. De preferência, escrever numa revista feminina. Não é que os sonhos se realizam? 

A partir da edição deste mês da revista Bem Mulher, eu assino a coluna de Gastronomia & Hospitalidade. 

Na estreia, escrevo sobre como preparar algo bem gostoso para receber aquela pessoa tão querida em casa para uma conversa a dois. Ah! E tem também duas sugestões de vinhos rosados para harmonizar e tornar tudo uma delícia! Para isso, contei com a ajuda da Vinitude - Clube dos Vinhos

Para os leitores do blog, em primeira mão, o texto da matéria está disponível  a seguir. Mas, corra lá na banca e compre a revista ou acesse o site http://www.revistabemmulher.com.br/ porque além dessa, há outras matérias muito interessantes. 


Sabor e Conversa Entre Amigos


Sem perder a sofisticação e a graça, é importante que tudo seja fácil de fazer para que se desfrute plenamente o tempo com os amigos.
A boa hospitalidade preza pelas boas vindas, o entretenimento e a despedida dos visitantes. Quanto mais natural puder ser a relação entre as pessoas, ou seja, quanto mais à vontade todos se sentirem, mais vontade terão de voltar logo. 

Leia a matéria na íntegra

Gastronomia & Hospitalidade

Sabor e Conversa Entre Amigos



Encontrar amigos é uma das coisas mais gostosas que a gente faz. Recebê-los em casa é sempre uma grande alegria. Não é preciso comemoração especial. A ideia é conviver: comer, bebericar e brindar à vida!

Em casas como a minha sempre tem visita. Seja aquela breve, quando os amigos vêm só para por o papo em dia, tomar um café, almoçar ou jantar, ou a visita do tipo hospedagem. 
É a consequência de ter amigos dispersos em vários lugares no mundo e também por visitá-los sempre que possível.

Seja qual for a situação, quando os amigos chegam, é preciso ter o que comer em casa. 
Faz parte da hospitalidade! Desde os mesopotâmios, na Antiguidade, que lavavam os pés dos viajantes que chegavam como forma de bem recebê-los, passando pelos ingleses que lhes ofereceriam na Idade Média uma caneca de cerveja, até hoje é assim.  Quem chega merece ser cuidado.

Geladeira e despensa vazias não estão com nada.

Mesmo sem muita afinidade com a cozinha, se souber que vai receber amigos para dormir, por exemplo,  terá que providenciar alguns itens como frutas, leite e suco, pão, talvez um queijo e um pouco de manteiga. Ter algum tipo de chá, pó de café e coador em casa é sempre uma boa saída, em caso de aperto ou de visita mesmo inesperada.  Também é um recurso apelar para o serviço de delivery, mas é bem carinhoso preparar algo, mesmo que simples, para agradar aos que chegam.

A dúvida é o que preparar ou providenciar.  

Sempre fica mais fácil, se conhecer o gosto das pessoas. Mas se não souber o que gostam, apenas tente se lembrar de algum episódio que dê pistas sobre o que é proibido, por exemplo, se não há alguém celíaco, vegano ou com qualquer tipo declarado de restrição alimentar.  

Para o anfitrião, assim como é preciso pensar no que servir, é muito importante, ao receber, ter tempo para ficar com os convidados. De nada vai adiantar servir um banquete sofisticado se você não estiver presente e disponível para conviver com seus amigos durante algum período.  Por isso, a ideia é preparar coisas fáceis e que não exijam mais que uma ou duas corridinhas até a cozinha só para dar aquela finalizada no que será servido. 


Um menu  para duas pessoas


Para um encontro informal entre dois amigos ou amigas, seja um casal ou não, a sugestão é preparar algo muito fácil, gostoso e que não exija de quem recebe se ausentar inúmeras vezes, cortando a conversa e deixando o convidado sozinho. 

Ambientes de cozinha e sala integrados facilitam a vida quando não há alguém para trazer a bebida e a comida à mesa ou até a sala. Caso seja preciso verificar o ponto do que está no forno ou buscar mais gelo, não é necessário sair de cena. No entanto, é bem comum que os amigos mais próximos entrem na cozinha e acompanhem e ajudem nas tarefas. 

Organizar alguns itens com antecedência também ajuda muito. 

As receitas e dicas a seguir são bem práticas, mas tem um quê de sofisticação. Para 
prepará-las não é preciso quase nada de tempo, mas  tudo será muito harmonioso e elegante.

Para o jantar entre duas pessoas que não se encontram há tempos e têm muito o quê conversar, uma adaptação do conceito de finger food, ou seja,  comida servida como aperitivo que pode ser levada à boca com as mãos, é uma boa.

Os três preparos que compõem essa refeição podem ser servidos cada um numa tigela ou travessa única posta no centro da mesa de jantar ou da mesinha  da sala, de onde podem ser simplesmente “ beliscados” e comidos, sem a necessidade de pratos individuais. É um jeito de comer bem amistoso. Nos países árabes e também na África essa é uma prática comum.

No nosso caso, usaremos pratinhos de sobremesa como apoio e, se o convidado quiser, para por uma porção do creme azedo (sour cream).  A ideia, no entanto, é que cada pessoa tenha um garfo e possa pegar diretamente de uma travessa comum tanto as batatas como as tiras de frango e passá-las, conforme gostem, pelo molho e degustar.


Receitas

Sour cream ou creme azedo




Ingredientes

·         1 caixinha de creme de leite UHT (para esse preparo não pode ser creme de leite fresco)
·         1 caixinha de cream cheese
·         Suco de um limão
·         Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de fazer
Misture o creme de leite, o cream cheese e o suco do limão. Bata com o fouet para dar leveza. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Leve à geladeira paladar.
Dica: Use o creme azedo para acompanhar outros pratos em especial os de  influência mexicana como nachos (tortilhas de milho) com toque apimentado ou pintxos, como são chamadas as tapas na Espanha. Vai bem também com carne de porco assada com as que são feitas na cozinha polonesa ou na eslava. Neste último caso, acompanhar também com geleias dá aos pratos um toque de perfeição.


Batatas rústicas




Ingredientes
·         600 gramas de batatas médias (do tipo holandesa)
·         Sal grosso
·         3 ramos de alecrim
·         2 colheres  (chá) de azeite de oliva extravirgem

Modo de fazer
Lave bem as batatas com uma escovinha de cozinha e retire imperfeições evidentes na casca com a faca de legumes. Corte-as ao meio e, depois, cada parte em três  partes, o que  fará com que cada batata dê seis pedaços. 


PRATO CORINGA: Esse é o típico prato coringa. Acompanha bem muitos outros como carnes e aves. É uma boa opção para os que não podem comer glúten.








Tiras de frango com páprica picante    

                  

Ingredientes
·         1 peito de frango cortado em tiras ou lascas médias
·         1 colher de páprica picante
·         Sal e pimenta do reino a gosto
·         Suco de limão o quanto baste
·         Gergelim torrado para empanar

Modo de preparar
Tempere as tiras ou lascas de frango com a páprica, sal e pimenta do reino. Coloque numa tigela, cubra com filme plástico e leve à geladeira por 30 minutos para pegar o tempero. 
Retire da geladeira, passe no limão e em seguida no gergelim torrado. Leve ao forno em forma antiaderente ou untada com azeite ou manteiga para assar por 10 minutos. Abra o forno, vire os pedaços um a um e volte ao forno por mais 10 minutos.

Dica: Em outra ocasião, faça esse franguinho em lascas e decore uma salada de folhas verdes com tomates cereja. Vai ser sucesso!

Esses três preparos podem ser servidos juntos ou separados combinando com outros pratos.  O que importa é que um sabor complemente o outro.


Harmonização não é besteira, é paladar treinado!


Nem sempre é possível comprar um vinho que simpatize perfeitamente com a comida que levamos à mesa,  mas para quem acha que harmonização é bobagem, não é. Talvez as pessoas não se sintam aptas a harmonizar os pratos e as bebidas. Ou, quem sabe, nunca tenham experimentado o prazer de juntar elementos que se comunicam perfeitamente  e, por isso, formam um só sabor todo especial, quase indescritível. No mínimo, memorável.

Não é tão difícil harmonizar vinhos e cervejas, como se pensa. Há nos supermercados, até mesmo nos mais simples, alguma variedade de rótulos que já nos permitem abandonar o velho hábito de beber uma “loira estupidamente gelada” (já que a baixa temperatura mascara o sabor do líquido e nos faz beber qualquer porcaria enlatada) para degustar uma cerveja do tipo IPA - Indian Pale Ale ou uma Pilsen feita de cevada de verdade.

Bastam um pouco de atenção e algum investimento para sair desse lugar comum. Aos poucos, o paladar vai melhorando.

Da mesma forma ocorre com o vinho, que é a bebida que será sugerida para acompanhar a refeição dos amigos que estão se encontrando em casa.
Como a ideia é poupar tempo, vamos apostar em algo intermediário entre o tinto e o branco. O vinho rosé nem sempre é muito lembrado, mas funciona bem desde como aperitivo, junto com os antepastos  até para acompanhar refeições mais leves, de pratos feitos aves ou carnes não muito gordurosas.  Por isso, é a sugestão do nosso menu entre amigos. 



Normalmente, para pessoas que não bebem muito, uma garrafa é mais que suficiente para dois. Assim, optando pelo rosé haverá pouca perda. Se optássemos por um branco de entrada e um tinto para acompanhar, melhor seria duas meias garrafas, que nem sempre são encontradas com facilidade quando se trata de vinhos de qualidade.

Não se deve esquecer de sempre servir água. Muito mais ainda por causa do vinho. Dois copos à mesa para cada pessoa serão necessários, no mínimo. 



Sobremesa

Ainda seguindo a ideia do finger food, prepare uma grande travessa com frutas picadas: use abacaxi, manga, morangos, uvas e carambola. 


Pingue suco de limão sobre elas e polvilhe açúcar de confeiteiro para dar brilho. 

Se preferir, espete-as em palitos longos.  Fica lindo, uma delicia e combina com o vinho rosé! 





Sugestões de vinhos rosados - Vinitude Clube dos Vinhos



Nenhum comentário:

Postar um comentário