segunda-feira, 15 de junho de 2015

Farofa de Ovos e Bacon

Hummmm... Só de pensar em farofa, eu fico com vontade!

Sábado foi a comemoração do aniversário do André e, como eu já contei noutro post, ele me pediu uma ajudinha com as comidas que acompanhariam o churrasco.

Um dos pratos que decidimos fazer foi uma farofinha muito prática e que fica mega saborosa. Pode ser feita com farinha de mandioca ou com farinha de milho amarela ou branca. Eu prefiro, especialmente para acompanhar carne de churras, que seja feita com farinha de mandioca torrada. É fácil de encontrar, custa barato e ainda ajuda aos que não podem comer glúten, já que mandioca "pode"!

Primeiro passarei a receita, depois dicas de variações e usos.


Farofa de ovos e bacon
(rendimento: 25 porções)



Ingredientes

10 ml ou um fio de azeite extravirgem
300 gramas de bacon cortado em cubos ou retângulos pequenos (não mais de 15 mm de lado)
2 cebolas médias cortadas em brunoise*
5 ovos
500 gramas de farinha de mandioca torrada
1 xícara (chá) de cheiro verde picadinho (salsa e cebolinha)
sal e pimenta do reino o quanto baste







Modo de fazer



Leve ao fogo numa panela alta o azeite e o bacon. Frite até que o bacon solte quase toda a gordura. Tire do fogo, escorra o bacon com uma escumadeira e reserve. Na gordura quente que restar do bacon que foi retirado, coloque a cebola e leve ao forno até dourar. Solte então os ovos, um a um sobre a cebola. Quando as claras estiverem coagulando, mexa com um garfo para que o ovo se espalhe e cozinhe por inteiro. Acrescente então a farinha e o bacon. Tempere com sal e pimenta e deixe mais alguns segundos no fogo, mexendo para não grudar na panela, mas para que a farinha fique mais torradinha e pegue o sabor dos demais ingredientes. Desligue o fogo e acrescente o cheiro verde.
Deixe esfriar um pouco antes de servir.

Essa farofa acompanha muito bem carnes grelhadas e assadas. Se for servida numa composição com banana da terra cozida ou em purê, fica uma delícia.

Menus que levam farofa devem ter o cuidado de serem compostos também com algo menos seco, por exemplo: feijão (com caldo) e arroz, ensopados bem encorpados do tipo goulash, carnes de panela com molho de cebola,  purês, especialmente de abóbora,  creme de milho... enfim, há uma infinidade de possibilidades. Experimente criar a sua composição de menu. É um exercício interessante para o cérebro.

Caso entre seus convidados haja vegetarianos, essa mesma receita pode ser adaptada usando, por exemplo, abobrinha ou chuchu em lugar do bacon. Tomate sem pele e sem sementes também funciona bem, mas com ele, muita atenção, porque, se ficar muito tempo no fogo, vira molho e o que se quer aqui são os pedacinhos úmidos do tomate (que também deve estar firme, para isso, pode-se usar tomates verdes fritos).  No entanto, em qualquer dessas substituições, se deve aumentar o azeite porque o bacon é responsável por dar umidade ao preparo. Farofa muita seca não é fácil de ser comida, é prudente lembrar!

Farofa é tudo de bom. Por isso, ainda pretendo falar delas por aqui. Farofa de miúdos de peru, por exemplo, é uma das minhas preferidas. Minha mãe é expert nesse assunto. Fica pra outro dia.

Apesar de ser um prato muito saboroso, essa farofa é bem calórica porque leva gordura tanto dos ovos quanto do bacon. De modo que o consumo deve ser parcimonioso, ou seja, sem excessos! Comer, sim, envenenar-se por exagero, não!

Boa semana!

No jardim de casa em pleno outono

Nenhum comentário:

Postar um comentário