sexta-feira, 19 de junho de 2015

Papelote de cação e legumes


Cheia de ocupações e novos projetos, além de matéria para escrever e dois eventos para organizar, minha decisão de hoje era não escrever. Mas como não compartilhar a minha melhor experiência gastronômica dos últimos dias? 

Como já disse aqui outras vezes, tem horas que eu simplesmente encasqueto com um determinado preparo e enquanto não o executo não tenho sossego. 

A fixação recente era com peixe assado em papelote com legumes. 

No ano passado, eu comi uma versão desse prato no restaurante Le vin, da praça Vilaboim, em São Paulo. Mas, devo confessar que foi uma grande decepção. O peixe estava fora do ponto, os legumes moles demais e não havia tempero. Um prato péssimo. Escolha infeliz, melhor dizendo.  E o pior foi que no dia seguinte eu passei mal, fiquei cheia de enjoos. Consequência disso, fiquei de bode com o tal prato. 

Nada como o tempo... 

Pois bem, o tempo passou e eu voltei a ficar com vontade daquele prato, só que definitivamente não iria ao Le vin para comê-lo. Por motivos quase óbvios, eu queria fazer em casa. Testar a receita e ver se funcionava porque, numa preparação como essa, o resultado esperado está diretamente ligado à textura dos ingredientes depois da cocção.  

Para evitar erros no preparo, eu resolvi pesquisar nos meus livros de receita e também em alguns blogs de comida. Eu sigo vários, mas, às vezes, em nenhum tem o que eu preciso. Então dá-lhe google! Acabo encontrando tantas outras coisas e aprendendo um montão. 

Como quero fazer o peixe no papelote para o Silas esta noite, minha intuição me mandou testar porque minhas dúvidas não foram esclarecidas só com o que encontrei pesquisando. Por exemplo: os tempos de cocção dos vegetais, dependendo de suas texturas, são variáveis, será que eu poderia cozinhar todos juntos sem que um ficasse mole demais e outro ainda al dente? E o peixe, que tem ainda outra textura, poderia ser posto junto com os demais ingredientes na mesma hora?  Quanto tempo teria que assar cada item até poder juntá-los? E os temperos: o peixe deve ficar marinando antes do cozimento? 

Ontem fui às compras e encontrei umas postas de cação interessantes, embora congeladas. O que de bate-pronto, me trouxe ainda mais uma dúvida: posso usar o peixe congelado diretamente no preparo do papelote?  

Eu encontrei receitas com batata, cenoura, azeitona, tomate, pimentão e cebola. Mas eu queria com batata doce, abóbora kabocha, brócolis e cogumelos. Ah! E eu queria temperar com alcaparras. Só experimentando para ter certeza do que aconteceria. 

O resultado foi surpreendentemente bom. Muito melhor que a encomenda e muito melhor ainda do que o do restaurante Le vin.


Papelote de cação e legumes 

(porção para uma pessoa)




Ingredientes

1 posta de cação de 120 gramas
2 tomates cereja partidos ao meio
15 gramas de abobrinha em cubos (parte sem sementes)
15 gramas de batata doce em cubos 
15 gramas de cenoura em cubos
15 gramas de abóbora (do tipo kabocha) em pedaços com casca
6 cubos de pimentão vermelho
1 flor pequena de brócolis picada
3 alcaparras picadas
1 quarto de cebola com a casca
sal
pimenta do reino moída na hora
mix de ervas finas
azeite extravirgem o quanto baste

Utensílios necessários: assadeira ou forma refratária e papel alumínio ou papel manteiga

Modo de fazer

Pré-aqueça o forno em 180 graus. 
Se o peixe estiver congelado, lave-o brevemente em água corrente, seque-o com papel toalha e tempere com sal e pimenta. Reserve. 




Estique o papel alumínio ou o papel manteiga sobre a assadeira, levando em consideração que sobre ele serão colocados os ingredientes da receita que, em seguida, serão fechados como num envelope para ir ao forno. É importante deixar sobra de papel dos dois lados uma vez que os ingredientes serão dispostos no centro. 
Pincele o meio do alumínio com um fio de azeite para untar e coloque os cortes de batata e abóbora. Por cima, ponha o peixe temperado com sal e pimenta. 
Numa tigela, misture todos os ingredientes picados, exceto a cebola, com a alcaparra quase macerada, ponha sal e pimenta  e regue com um pouco de azeite. Distribua todos os itens picados sobre e ao lado do peixe, por último ponha a cebola com a casca para cima. Polvilhe um pouco das ervas finas antes de fechar o papelote. 
Legumes e um fio de azeite
Em seguida, junte os lados do papel e amasse bem as laterais para deixá-lo bem fechado e não deixar sair o vapor. 


Versão no papel manteiga
Versão no papel alumínio














Leve ao forno pré-aquecido por 20 minutos. Retire do forno e aguarde cerca de cinco minutos antes de abrir o papelote  por cinco minutos. 
Sirva diretamente no próprio papel alumínio.

***



Tenha cuidado ao abrir a embalagem saída do forno porque vai soltar vapor e, se o rosto ou as mãos estiverem muito próximos podem queimar. 

Ao servir regue com mas um fio de azeite e, se preciso, acerte o sal.

Eu fiquei muito entusiasmada com o resultado desse prato leve, saudável, fácil, colorido e muito fino para servir em qualquer ocasião. 

Para refiná-lo ainda mais, use cogumelos fatiados, sal ou azeite trufados, camarões, vieiras. Hummm... é bom demais. 

Eu testei e hoje à noite vou repetir porque farei para o Silas. Já até comprei um espumante para acompanhar. Vai ser tudo!!!

Quanto às minhas dúvidas, eu solucionei algumas. 

- As texturas são diferentes entre os alimentos e isso dá graça a esse prato. No entanto, é fundamental que os cortes dos legumes estejam do mesmo tamanho ou bem aproximados; 

- O peixe não precisa ficar marinando antes de ir para o forno, isso fará com que ele fique mais amolecido e solte água demais durante o preparo; 

- O tempo de forno não poderá nunca exceder 30 minutos para esse preparo porque o peixe vai desmanchar; 

- Cação é um bom peixe para o preparo porque a posta é alta. Mas outros podem ser usados como o robalo, o pescada amarela e outros. Peixes sem espinhas. 

Uma graça desse prato é a cebola que, por estar com a casca (que não será comida), mantem-se com as folhas tenras. A textura da cebola é fantástica nesse preparo. 

Uma dica: se perceber que ficou muito líquido no papelote antes de servir, abra um pouquinho uma lateral e deixe escorrer. Mas cada pessoa tem o direito de abrir o seu papelote e SURPRESA!!! Que cheirinho bom, que sabor gostoso. 

Espero que tenham gostado desse meu rompante de compartilhamento de experiência culinária. Eu adorei fazer e comer. E compartilhar também! 

Como eu só fiz um teste, não cheguei a servir num prato lindo e nem levei à mesa arrumada. A foto de hoje está bem fraquinha. À noite, quando eu repetir a receita, acrescento fotos mais bonitas com tudo o que é de direito. 

Um beijo enorme. Bom fim de semana! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário