quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Comida é sempre assunto

Lá em casa! 


Fevereiro é mês de Carnaval. Há quem queira cair na folia e também quem aproveita os dias para um descanso merecido. Dias quentes com aquela chuvinha (ou tempestade) esperada no fim da tarde, no verão, o astral é sempre pra cima. 

Na edição do mês da Revista Regional, além da alegria dos foliões tem também a alegria dos ituanos, já que é aniversário da cidade no dia 2. Por isso, há um cuidado especial dos editores da revista em falar sobre a história e o patrimônio dessa minha querida Itu natal. 

 coluna Lá em casa de fevereiro é sobre comida. Comer, falar de comida, escolher o que aprecia, pensar em receitas, ter lembranças de pratos que marcaram nossas vidas... Hummm... 

Leia a coluna que traz uma receita deliciosa de massa negra com camarões e aproveite a revista toda, que está comemorativa. 


Se preferir, leia o texto na íntegra aqui no blog mesmo. Compartilhe, deixe seus comentários. Um blog vive de quem o lê e compartilha opiniões. 



Siga a página do Facebook.  



sábado, 20 de janeiro de 2018

Gastronomia de luto: Paul Bocuse morreu



Aos 91 anos, Monsieur Paul, o chef dos chefs morreu hoje em sua casa perto de Lyon na França. 


Foto: Reprodução/internet: Diário de Pernambuco


Expoente da nouvelle cuisine, sinônimo de perfeição, bem como de arrogância e temperamento difícil, o chef Paul Bocuse foi inspiração e referência para o mundo da gastronomia por todo século 20. Agora ele será história. Quem é história, nunca morre.  

De certo, não terá muito tempo para descansar em paz. No céu estão a sua espera para que chefie o banquete. 


***

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Deixe-se surpreender


Nem tudo ou quase nada é do jeitinho que a gente planeja, sem tirar nem por. Mas isso é uma grande benção porque a gente pode sempre se surpreender positivamente.

Por exemplo, quando viajamos, em geral, projetamos alguma imagem na nossa mente, fruto de uma foto antes vista ou de uma associação de ideias vindas de memórias de outros lugares ou histórias,  e assim, esperamos encontrar naquele destino algo muito semelhante ao que pensamos. Quase sempre é diferente: a igrejinha não é da mesma cor, o coreto pode não existir ou ser maior ou menor do que imaginamos, o jardim está mais florido do que esperávamos ou ainda não tem aquela deliciosa sorveteria na pracinha.

Encontrar a realidade diante do que projetamos é fascinante se nos deixarmos ver com olhos de encantamento, nada de frustração. Imaginar paisagens faz bem pra gente tanto quanto encontrar novos lugares para ocupar nossa imaginação.




Estou em Brasília por uns dias, amanhã mesmo volto a São Paulo, mas confesso que me surpreendi novamente com essa cidade. Minha hospedagem desta vez é na beira do lago e, de perto, andando pela beira da água, parece que estou em Cuba. Não é incrível essa associação? Pois ela ocorreu tanto pra mim quanto pro Silas que está aqui comigo. Alguma semelhança nos trouxe tanto de Havana quanto de Varadero, talvez pelo tipo de construção à beira do lago, pela cor do céu ou pelo calor da noite estrelada. 

Nada como se deixar surpreender.

Eu vim a Brasília muitas vezes tanto para trabalhar quanto para visitar a família do filho do Silas que vive aqui com a mulher e agora com dois filhinhos, a linda Helena e o amado João, que nasceu há pouco mais de um mês. 



Nessas idas e vindas, já visitei museus, igrejas, fui ao Palácio do Planalto, à Esplanada dos Ministérios, ao Congresso, ao Itamaraty, à torre, enfim, fiz passeios de turista e de trabalhador. Desta vez, minha visão está bem diferente das demais. O lago é a grande referência visual da minha paisagem e isso me fez ver uma outra cidade, bem acolhedora e divertida. Pena que nem todos podem ter esse acesso porque as "praias" do lago não estão assim tão facilmente disponíveis para qualquer cidadão que as queira conhecer. Os donos dos terrenos nesses locais é que usufruem do que, no papel, é um espaço público, e muitos nem sabem que existe. Mas é fato que existe e é bonito demais.






Outra coisa que me surpreendeu em Brasilia, desta vez, foi a qualidade ruim dos serviços de alimentação diante dos preços praticados. 

Li uma matéria na semana passada que paulistano é um consumidor exigente demais, talvez seja esse o meu caso, porque (como sempre digo) sou paulistana por opção. Mas, por aqui, parece que se você quer uma comidinha básica de boa qualidade não vai encontrar com muita facilidade, a menos que aceite pagar por um prato um valor que, em São Paulo, o levaria a comer uma comida bem caprichada num restaurante da moda.

No domingo à noite, tentamos comer comida árabe. Santo!! Que coisa horrível. Um tal restaurante aberto com delivery foi a nossa grande decepção. Pra se ter ideia, eu que sou comilona e nunca deixo comida no prato, não consegui comer a esfirra do lugar porque era velha, rançosa, com uma massa de péssima qualidade. Esperamos muito para levar a comida e o arrependimento foi total!

Há exceções. Ontem, por incrível que pareça, resolvemos comer espetinhos num restaurante super simples na Vila Planalto. A comida estava muito boa: macaxeira cozida ao ponto, feijão tropeiro que não falava mal de ninguém e o churrasquinho honesto, tanto o de linguiça quanto o de carne e o de kafta. Tudo muito barato diante do que comemos, pode acreditar! 

Depois, no posto de gasolina, na loja de conveniência, descobrimos um picolé natureba também nos fez bem felizes, apesar do preço não ser de picolé... No palito, estava gravado picolé do Robson. Valeu a pena conhecer. Fiquei com vontade de repetir.

O lance então é se deixar surpreender. Abrir o coração para a alegria de viver e ser feliz, mesmo que pareça um pouco difícil.  Experimente!


*****

Serviço: Restaurante Esquina do Lago e Espetinho 
Vila Planalto Acamp DFL - Brasília, DF, 70803-170 -  Tel: (61) 3306-3327

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Verão é tempo de conviver


Lá em casa! 

E assim começamos o ano de 2018. Cheios de esperanças renovadas. Como é verão, a Revista Regional vem com uma edição fantástica, cheia de cor e alegria. Você não vai perder, vai? 




 coluna Lá em casa de janeiro é sobre o resgate da convivência e do uso do espaço público. Ah! E tem uma receita deliciosa e muito versátil.  A ideia, como sempre digo, é tornar a vida mais feliz. 

Leia a coluna e aproveite a revista toda, que está com a cara e a cor do Brasil. 


Se preferir, leia o texto na íntegra aqui no blog mesmo. Compartilhe, deixe seus comentários. Um blog vive de quem o lê e compartilha opiniões. 



Siga a página do Facebook.  


quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Refresque-se com sopa


Essa é uma dica de receita prática para os dias de calor. Faça e deguste! Você vai se impressionar. 

Artigo publicado no portal Plena Mulher e no site Itu.com.br coluna Gastronomia & Hospitalidade, por Clau Gavioli em 9/dezembro/2017. 



Se preferir, acesse o mesmo conteúdo aqui no blog. Texto na íntegra a seguir.