Mostrando postagens com marcador Clube das Comadres. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Clube das Comadres. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Receita de Goulash




Para quem, como eu, é fã do Clube das Comadres, já está na coluna Gastronomia & Hospitalidade a receita de goulash, um prato muito comum na Hungria que leva páprica, legumes e carnes.  Como viajei pra lá nessas férias, resolvi testar a receita e fazer algumas adequações para o paladar aqui de casa.  

Não perca a chance de entrar no clube para dar uma olhada nas dicas que vêm com a receita e aproveite para se aventurar numa plataforma cheia de informações que podem ser muito relevantes para o seu dia a dia. 


É um prazer fazer parte do Clube das Comadres! 



--- tags: goulash, comida húngara, receita de goulasg, #clubedascomadres


                                             



Se preferir ler aqui no blog, esse conteúdo está disponível aqui

Leia também: Comfort food






quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Bolo Salgado - Comfort Food



Hummmm... que cheirinho bom...

Quem não se lembra daquela festinha da escola em que cada pessoa tinha que levar um prato?  

Se veio alguma imagem à sua memória, deve se lembrar também que o bolo salgado aparecia em várias versões. 




Havia um bem molhadinho, outro nem tanto, tinha os de massa mais lisa, outros mais fofos. Alguns vinham com excesso de recheios, outros com menos, quase só massa. Podiam ser frios ou mais quentinhos, com queijo derretido, com presunto, atum, sardinha, milho verde, azeitonas, cebola, tomate, infinitas variações e combinações super esdrúxulas muitas vezes. Mas, que lembrança boa, não? 


tags: receita, bolo salgado, comida de casa, comfort food, comida de mãe


Bolo salgado é comfort food, isto é, comida que traz conforto.  Eu me lembro de várias vezes que minha mãe fazia um bolo salgado e enchia a casa com aquele cheiro delicioso da massa assando. Quando ficava pronto era uma delícia fosse qual fosse o recheio. A gente comia os pedaços ainda quentes, mas, caso sobrasse alguma parte na assadeira, horas depois, aquela mesma comida ganhava outra textura, parecia outro sabor, e, ainda assim, era muito bom!

Admito que uma das coisas que eu, pessoalmente, não curto é a textura de alguns ingredientes quando o bolo salgado esfria. Entre eles, especificamente, a cenoura, o tomate e a cebola, quando estão no bolo que é servido frio, não me agradam. Em compensação, os recheios que levam abobrinha, cogumelos e palmito quando esfriam ficam ótimos para o meu paladar. Mas isso é só uma questão de gosto. Há quem aprecie muito os mesmos ingredientes com temperaturas diferentes. O que interessa é experimentar, às vezes, a gente se surpreende. 

(Se preferir, acesse esse conteúdo completo no site do Clube da Comadres, aproveite para conhecer. Clique aqui.)




Receita de Bolo Salgado

Massa

Ingredientes

2 ovos inteiros
250 ml de leite
100 ml de óleo de girassol ou milho
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 pitada de sal

Sugestão de recheio

1/2 maço de cheiro verde (salsa e cebolinha)
1 cebola pequena
6 azeitonas verdes sem caroço
6 anchovas 
100 gramas de muçarela
1 tomate concassê*


Modo de fazer

Massa:  Bata todos os ingredientes no liquidificador. 
Recheio: Pique todos os ingredientes em cubos do mesmo tamanho e misture-os. 

Montagem: Numa assadeira untada e polvilhada, intercale uma camada de massa com uma de recheio e outra de massa. Polvilhe com queijo parmesão ralado e farinha de rosca. Leve para assar em forno previamente aquecido a 180 graus por 40 minutos.

Espere amornar para cortar em pedaços e servir.  





Bons usos  


  • Combina bem para acompanhar sopas cremosas ou caldos no inverno
  • Fica ótimo para ser servido ao lado de uma salada à base de folhas verdes com molho cítrico ou vinagrete 
  • Pode ser uma excelente ideia para o lanche das crianças, em especial, quando estão brincando e têm que interromper a brincadeira para comer. Recheios como salsicha ou presunto e queijo ou mesmo legumes bem variados e coloridos agradam ao paladar infantil
  • Numa festa com amigos, como um coquetel, pode ser servido em pequenos pedaços como finger food  . Dá também para fazer cortes em losangos ou cortar com forminhas como estrelas ou pequenas circunferências 
  • Dá pra manter pedaços na geladeira para matar a fome a qualquer hora sem ter que pensar em fazer outra comida. Dura uns três dias na geladeira facilmente.
  • Para levar como lanche no trabalho também funciona super bem e, claro, na festinha da escola não pode faltar! 


Esse é um preparo caseiro. Mesmo que a gente coma bolo salgado na rua ou em alguma lanchonete e até mesmo num buffet, essa é uma comida caseira. 

Hoje, minha ideia de publicar essa receita tem muito a ver com uma sensação de saudade na alma. Comida ajuda a gente a se transportar no tempo, a afastar o medo, a se sentir um pouco mais seguro porque acalenta o coração. 

Procurando os motivos, deve ser porque na infância, o que nos é oferecido para comer quase sempre vem assoprado pelo carinho da mãe ou do pai, às vezes, da avó, da madrinha, ou de alguém que gosta da gente.  Por isso, acredito que associamos algumas comidas com segurança, com amor. 

Quando preciso de raiz, de chão, e também quando quero dar amor vou pra cozinha. Faço muito isso. 
Gosto de cozinhar para os meus, sempre busco alimentar minhas crianças (tenho várias, o Rafael, a Nala, a Helena, a Manuela)  e encho de amor qualquer preparo que faço para elas.  

Que tal o bolo salgado esta noite? É bem fácil e familiar. Vale a pena. Fica a dica! 


*concassê = tomates sem pele e sem semente 


Sobre o Clube das Comadres - O Clube das Comadres é um site de amplo conteúdo direcionado às mulheres que querem se manter atualizadas no universo feminino. O portal apresenta lançamentos de produtos e serviços que visam facilitar o dia a dia e oferecer mais beleza, conforto e facilidades à mulher. Mais que isso, o Clube das Comadres traz colunistas para temperar um conteúdo jornalístico de notícias, entrevistas e análises exclusivo produzido por uma equipe de jornalistas de alta categoria. Tudo sem deixar de lado a cobertura do mundo dos famosos da TV e orientações de especialistas de áreas como saúde, beleza, moda, família, culinária e muito mais. O Clube das Comadres espera por você.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Vinho Quente: item de Festa Junina

Clube das Comadres




Em pleno mês das festas de Santo Antonio, São João e São Pedro, a gente não pode deixar a tradição de lado. Mas... Que tal uma inovação? Ah! Nem chega a ser novidade, é só mesmo uma variação. 

Encontre esse post completo também no site do Clube das Comadres na área dos Colunistas em Hospitalidade e Gastronomia ou acessando diretamente o link.


--- tags: festa junina, vinho quente, vinho branco quente,  #clubedascomadres


                                             


Leia o texto na íntegra:


quarta-feira, 24 de maio de 2017

Capeletti in brodo, a hospitalidade tem sabor


Clube das Comadres


A hospitalidade, muitas vezes, é sinônimo de acolhimento.

Há momentos na vida da gente em que tudo de que precisamos é um abraço amigo, um olhar ou uma sopa quentinha para arrefecer tristezas. É nessa hora que a hospitalidade tem sabor. Sabor de capeletti in brodo. 

Encontre esse post completo também no site do Clube das Comadres na área dos Colunistas em Hospitalidade e Gastronomia ou acessando diretamente o link.


--- tags: ocapeletti in brodo, hospitalidade, acolhimento, cuidado, aquecer a alma e o coração,  #clubedascomadres


                                             


Leia o texto na íntegra:


sexta-feira, 14 de abril de 2017

Páscoa: bolo de chocolate


Clube das Comadres



Como será a comemoração da Páscoa para você? Um almoço em casa com a família e os amigos ou uma celebração em casa de amigos ou parentes? 

Não importa se vai receber ou ser recebido, aqui tem uma dica gastronômica nota 10 pra você fazer bonito demais!  

Encontre esse post completo também no site do Clube das Comadres na área dos Colunistas em Hospitalidade e Gastronomia ou acessando diretamente o link.


--- tags: bolo de chocolate, bolo de Páscoa, sobremesa, hospitalidade, almoço de família, família, #clubedascomadres


                                             


Leia o texto na íntegra:


sexta-feira, 10 de março de 2017

Cebola roxa com molho de nozes


Salada sofisticada que impressiona


Cá estou eu nas novas empreitadas da vida. Ora invento uma novidade, ora outra. E assim os dias não são monótonos e nem tampouco sem tempero.

Ando pesquisando ingredientes e sabores para um menu novo do Lá em casa pra jantar. 
Na terça passada, como minha cunhada viria jantar conosco e estamos com o Arthur de férias aqui pela nossa casa até o fim de março, usei ambos para um teste de degustação desta cebola caramelizada no forno e servida como salada. 


tags: comida de verdade, receita, salada, cebola caramelizada, molho de nozes

É essa experiência que divido agora com vocês, contando os ajustes que fiz, bem como a criatividade que usei na substituição de ingredientes de uma receita que, se não fosse por essas substituições, eu diria que copiei completamente.  Vamos lá.

Já que disse que minha inspiração veio de algo já existente, é melhor não contar apenas o milagre, mas também o santo. Até porque, o livro de onde saiu a receita é uma delícia de publicação, repleta de informações preciosas, fotos incríveis e que faz parte do novo selo da Companhia das Letras, que é o Companhia de Mesa.


Foto: Companhia de Mesa
De autoria de Yotam Ottolenghi, um chef conhecidíssimo que fazia um programa de comida mediterrânea na GNT um tempo atrás, a obra se chama Comida de Verdade - Ingredientes frescos e receitas vibrantes para a cozinha diária.  

Foto: Yotam Ottolenghi - The New York Times

Como um assunto puxa outro, o chef Ottolenghi vive na Inglaterra, em Londres, mas nasceu em Israel e também é cidadão italiano. Não sei se puro marketing, mas ele é desses personagens apaixonantes do mundo da gastronomia aparentemente sem segredos. Dá a impressão de que, de perto, a vida dele é super interessante. É chef de cozinha, tem programa de TV,  tem uma coluna na The New York Times Magazine,  tem vários livros publicados e é dono ou sócio de alguns restaurantes e delis na capital britânica. Dá até pra invejar, não dá? 

Fato é que no livro Comida de Verdade, cuja tradução foi feita por Isabella Pacheco, o que deve ajudar um bocado para nos dar impressão de que o autor é muito simpático, Ottolenghi mistura ingredientes meio inusitados e promove uma reflexão sobre o processo de criação dos pratos, bem como do uso de técnicas bem simples de culinária.  


Foto: Rita Lobo - Panelinha
Palmas para a Companhia das Letras, que bem antenada no mercado crescente de títulos da área de gastronomia, lançou o selo Companhia de Mesa. Meus aplausos são porque eu acredito que, em tempos de rapidez de informação, quando a maioria das pessoas acredita que pode buscar qualquer tipo de receita em programinhas editados para o youtube, criar um selo para publicar livros tendo o cuidado de eleger autores, bem como de prezar pela qualidade editorial da publicação, é mesmo uma atitude digna de admiração.  Não que seja novidade para a editora lançar cobiçáveis títulos de culinária. Antes, a Companhia da Letras tinha uma parceria com a editora Panelinha da Rita Lobo, que agora está parceira da editora Senac.  De qualquer maneira, é inegável a qualidade que é posta nas livrarias por ambos. Melhor pra nós! 

Voltando ao assunto da salada, ou da cebola que é a grande atração desse prato, a receita original está na página 176 do livro do Ottolenghi. Procure lá. Essa é uma boa chance de folhear deliciosas receitas e encher os olhos com as fotos. A minha, uma versão bem adaptada, é assim: 



Salada de cebola roxa com molho de nozes




Molho

1/2 xícara de nozes levemente assadas e picadas em pedaços não muito miúdos
1 pimenta dedo de moça sem sementes e picada bem miudinha
1 dente de alho amassado
1 colher (sopa) de vinagre de arroz
2 colheres (sopa) de vinho tinto seco
1 colher (sopa) de azeite extravirgem

Modo de fazer: Misture todos os ingredientes e reserve. Deixe descansar por, no mínimo, 20 minutos. 



Ricota temperada 

100 gramas de ricota fresca 
1 colher (sopa) de creme de leite (pode ser UHT ou fresco)
1 colher (sopa) de alcaparras 
1 colher (sopa) de azeitonas verdes sem caroço
Sal
Pimenta do reino 

Modo de fazer: Esfarele a ricota e leve ao multiprocessador juntamente com o creme de leite. Processe para que dê liga. Acrescente os demais ingredientes e tempere sem parar de processar. Quando estiver tudo bem misturado, desligue o processador e envolva o conteúdo em filme plástico, fazendo uma espécie de rolo, isto é, dê um formato cilíndrico amarrando as pontas como se estivesse embalando uma bala, ou seja, dos dois lados. Dobre as extremidades e leve ao congelador até que fique bem firme. 

Obs: Na receita original o queijo usado era feta ou queijo de cabra cremoso.



Cebola caramelizada

4 cebolas roxas grandes 
Sal, pimenta do reino e azeite

Modo de fazer 

Descasque as cebolas e corte cada uma em 3 rodelas de mais ou menos 2 centímetros de espessura. Distribua sobre uma assadeira antiaderente ou com um Silpat. Polvilhe sal e pimenta do reino. Pincele levemente com azeite e leve ao forno em temperatura de 200 graus por cerca de 45 minutos. Ao final desse tempo, as cebolas devem estar tenras e coradas, quase chamuscadas, na aparência. Se precisar aumente o tempo no forno ou a temperatura. 


Demais da salada 

1 maço de rúcula lavada, escorrida e rasgada, sem os talinhos compridos 
1/2 maço de salsinha crespa picada grosseiramente


Montagem


Quando as cebolas caramelizadas estiverem mornas, monte uma travessa com os vegetais verdes, o queijo (ricota) cortada em fatias e as cebolas. Tome cuidado para não desmanchá-las. Regue com o molho de nozes reservado. Sirva imediatamente. 




Usos dessa receita


Sirva como entrada.  Esse é um prato para ser comer à mesa. Não dá pra servir num coquetel, por exemplo. As cebolas terão que ser cortada e o molho precisa ser bem misturado para que haja a melhor harmonização entre os ingredientes.  


Funciona bem com uma harmonização feita com vinho branco verde. Apesar do vinho tinto no tempero, a cebola prevalece e com a textura das nozes e o sabor picante da pimenta dedo de moça há um perfeito equilíbrio adocicado e ardido que combina com o frisante do vinho verde. 


Sugeri como entrada porque essa é uma comida que abre o paladar. Pode, no entanto, ser um segundo prato, desde que o primeiro não seja também picante. Por exemplo, se antes houver um canapé ou um patê cremoso, sem erro. 


Essa salada também pode servir de acompanhamento de uma carne ou preceder uma comida vegetariana.  


Entre os diversos usos, use mais que tudo a sua criatividade. Monte do seu jeito e seja feliz porque regras existem para serem quebradas, certo?  

O que posso dizer é que fica um prato lindo, colorido, apetitoso e nos dá oportunidade de sentir algo bem diferente na boca. Os ingredientes são baratos e qualquer pessoa pode fazer sem gastar muito, exceto o tempo, porque demora um pouco para executar todos esses processos. Mas isso é culinária, isso é gastronomia! 

Faça no fim de semana, depois deixe aqui um recadinho contando a experiência. 

Gostou? Compartilhe! Comente. Blogs se alimentam de comentários. 

Grande abraço!!! 

Publicado em Clube das Comadres

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

A arte de bem receber

Clube das Comadres



Para quem não leu sobre a Arte de Bem Receber no no portal Itu.com.br tem a chance de fazê-lo no Clube das Comadres.

Você vai encontrar algumas dicas e sugestões de quê e como fazer para agradar seus convidados, tanto os que vêm pra ficar como os que estão só de passagem.

No Clube das Comadres/ Colunistas/Hospitalidade e Gastronomia ou acessando diretamente o link. 


--- tags: receber em casa, bem receber, dicas de hospitalidade, recebendo amigos






www.clubedascomadres.com.br



Publicidade: Próxima edição Lá em casa pra jantar: 23/março - Reserve!

    Leia também: 

    sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

    Bacalhau da Bibba, em Pirenópolis



    Clube das Comadres


    Aproveitei a promessa de contar como foi a experiência de jantar moqueca de bacalhau num restaurante-antiquário e publiquei essa história na coluna de Hospitalidade e Gastronomia do Clube das Comadres

    Uma noite memorável oferecida por gente muito criativa e hospitaleira! 

    No Clube das Comadres/ Colunistas/Hospitalidade e Gastronomia ou acessando diretamente o link.  



    --- tags: viagem, Pirenópolis, bacalhau da Bibba, hospitalidade, moqueca, moqueca de bacalhau, restaurante antiquário, #clubedascomadres









    Leia o texto na  íntegra: 


    terça-feira, 15 de novembro de 2016

    Comfort Food: Risoto


    Clube das Comadres


    Parece sofisticado, SQN! 

    Risoto não precisa de ocasião especial para ser servido. É comfort food, ou seja, "aquele prato que nos remete às boas lembranças, seja ela da infância ou de uma época boa das nossas vidas", numa definição de Mauricio Barufaldi na sua publicação no Diário de Marília, em setembro de 2014.




    Já na coluna de Hospitalidade e Gastronomia do Clube das Comadres , você verá como é simples sem deixar de ser delicado o preparo de um risoto de peras com queijo 
    gorgonzola.

    --- tags: risoto, pera com gorgonzola, receita de risoto,  #clubedascomadres

    Saiba como o desafio de cozinhar com os ingredientes que têm à mão pode ser vencido triunfalmente!! No Clube das Comadres/ Colunistas/Hospitalidade e Gastronomia ou acesse diretamente o link. 





    Leia também neste blog: 


    sábado, 15 de outubro de 2016

    Fazer pão é como brincar de Deus

    Clube das Comadres


    Fazer pão é uma alegria para a alma. Dá trabalho, mas o resultado dá uma sensação de plenitude que só quem já fez, sabe. Posso garantir: vale a pena! Tente. 





    Comece pela focaccia,  uma receita fácil que ilustra a minha coluna quinzenal do Clube das Comadres.

    --- tags: focaccia, pão, pão caseiro, pão rústico,  #clubedascomadres

    Aproveite, leia as dicas sobre como fazer uma bela focaccia, um tipo rústico de pão fofinho no Clube das Comadres/ Colunistas/Hospitalidade e Gastronomia ou acesse diretamente o link. 





    terça-feira, 27 de setembro de 2016

    Doce de casa, sobremesa de família!








    Caçarola italiana e manjar branco com calda de vinho e ameixa preta - A minha avó, mãe da minha mãe, fazia sempre esses doces.  Agora quem faz é a filha dela, que também é avó! E assim a tradição permanece. Cá entre nós, minha mãe faz questão de manter o legado, mesmo que faça outras sobremesas. 





    --- tags:#clubedascomadres, doce de vó, manjar branco, caçarola italiana, sobremesa de família

    Acesse o site do Clube das Comadres/ Colunistas/Hospitalidade e Gastronomia ou acesse diretamente o link.

    No Clube, publiquei a receita da caçarola italiana, mas a do manjar está aqui! 

    Manjar Branco

    Ingredientes 

    Massa do manjar
    1 1/2 litro de leite
    1 vidro de leite de coco
    2 xícaras (chá) de açúcar
    6 colheres (sopa) de amido de milho - bem cheias

    Calda
    1 1/2 xícara de vinho tinto
    4 colheres (chá) de açúcar
    água
    ameixas pretas com caroço

    Modo de fazer: 

    Ponha o leite para ferver, acrescente o açúcar e o leite de coco. Quando levantar fervura, acrescente o amido de milho dissolvido numa pequena reserva do leite. Mexa sem parar. Quando começar a engrossar, continue mexendo para que não grude demais no fundo da panela. Serão cerca de 5 minutos para o cozimento da maisena. Desligue o forno e despeja numa forma de buraco molhada com ameixas distribuídas no fundo.  Deixe endurecer por cerca de 2 horas ou até esfriar. Desenforme no recipiente em que vai servir. Deve ser fundo o suficiente para que a calda que será colocada por cim não derrame. 

    Para fazer a calda, junte todos os ingredientes numa leiteira e leve ao fogo, até dar ponto de calda. Depois de fria, derrame sobre o manjar. 



    Leia também: 




    segunda-feira, 29 de agosto de 2016

    Piquenique na Coluna da Clau

    Clube das Comadres


    Como prometido, sempre que uma nova publicação sai, informo por  aqui. 

    Aproveitar os dias com alegria, esse é o ensinamento. Dias tristes, todos temos, por isso, usufruir dos tempos bons faz bem ao coração, à alma e deixa memórias maravilhosas. 


    --- tags: piquenique, picnic, festa ao ar livre  #clubedascomadres

    Preparei umas dicas para sua festa ser pra lá de agradável. Acesse o site do Clube das Comadres/ Colunistas/Hospitalidade e Gastronomia ou acesse diretamente o link. 





    segunda-feira, 8 de agosto de 2016

    Coluna da Clau


    Clube das Comadres


    Hoje tem publicação nova no site.

    Tudo na vida tem a ver com estar disposto a experimentar. Você já foi a uma taverna rústica de verdade? 

    Aniversário comemorado no Can Margarit, em Barcelona. 





    --- tags: viagemvinho rosadoconill a la Jumillanadica Barcelona,  #clubedascomadres


    Leia as dicas e impressões sobre o restaurante Can Margarit em Barcelona. Acesse o site do Clube das Comadres/ Colunistas/Hospitalidade e Gastronomia ou acesse diretamente o link. 






    quarta-feira, 3 de agosto de 2016

    Coringas para agradar e receber os convidados



    Vai receber gente em casa e não sabe o que servir? Entre os convidados há quem come de tudo e quem não gosta de nada? Conheço bem essa situação. Por isso é que sugiro usar alguns elementos que são “coringas” para anfitriões que, podem até não entender absolutamente nada de carteado, mas tendem a “bater com as 10”, como se diz na gíria de quem joga caixeta, quando o assunto é agradar à mesa. 

    --- tags: tipos de queijo, castanhas, petiscos, o que servir  #clubedascomadres

    Se não é habitual pra você manter em casa um pequeno estoque de castanhas, amendoins e frutas secas, sugiro começar a pensar nisso.  Não será nada difícil... leia mais

    Leia todas as dicas no Clube das Comadres/ Colunistas/Culinária ou acesse o link  para saber como agradar seus convidados de um jeito fácil, prático e inesquecível para todos. 







    quarta-feira, 27 de julho de 2016

    Amélia, a vizinha que fazia comida afetiva



    Amélia, uma amiga dessa vida e de outras, já falecida, cozinhava muito bem. Também contava estórias com forte carga dramática e muita graça. Qualquer que fosse o tema, na narração dela tudo se tornava interessante, o que causava em mim, desde pequena, um enorme fascínio.

    --- tags: rocambolecomida afetivapão de ló  #clubedascomadres



    Como Amélia era dos quitutes, fazia esfirras, coxinhas, croquetes e outros salgados para vender no bar do marido, o Tonico. Mas, além disso, ela tinha outra fantástica habilidade gastronômica, fazia como ninguém arroz doce e rocambole de goiabada. Que delícia! Meus tios amavam. 

    (...)



    Leia íntegra do texto no Clube das Comadres/ Colunistas/Culinária ou acesse esse link  para encontrar a receita do maravilhoso rocambole de goiabada. Imperdível!