sexta-feira, 30 de maio de 2014

Comida Saudável

Hoje um artigo da primeira dama dos Estados Unidos sobre o projeto de melhorar a alimentação de crianças foi publicado no The New York Times e merece ser lido.

Aqui reproduzo o link publicado pelo Uol.  Ameaça no projeto de alimentação saudável.

Muito mais do que pelo caráter político, o artigo pode ser uma oportunidade para refletir sobre como, todos os dias, temos tratado a nós mesmos a partir do que colocamos boca adentro.

O assunto tem me perseguido nos últimos dias.  

Fui à quarta edição do Comida de Blog no Sesc Consolação da última quarta-feira, 28/05, cujos convidados eram os blogueiros Isabela Saldanha, gastrônoma, e Felipe Luz, fotógrafo, ambos do Fotografando à Mesa e o instagramer (eu nem sabia que existia esse termo!) Fabio Moon. Conversa vai, conversa vem, o assunto derivou e foi parar em como comemos o que comemos e como é tratado o alimento que chega às nossas casas, mesas, bocas e estômagos. 

Lendo os Gurus da Gastronomia, do Stephen Vines, editado no Brasil pela Prumo em 2013, inevitavelmente, o que me chama mais atenção pelo profundo antagonismo de ideias são os capítulos que tratam de Carlo Petrini (ver pág 223-234), do movimento Slow Food, e o de Ray Kroc (pág. 169-179), do McDonalds. 

Na disciplina de História da Gastronomia do professor Rodrigo Stolf, uma proposta de análise sobre o ato de nutrir-se a partir do que se busca com o movimento Slow Food e sua características interdisciplinares envolvendo antropologia, sociologia, agricultura, tecnologia, economia, medicina, além do saber e do prazer que nos é dado em casa no que se refere a alimentação. 

Agora o artigo da primeira dama americana...  

Possivelmente isso tem a ver com uma busca muito minha de encontrar uma forma de me alimentar, trabalhar rentavelmente com comida e falar dela a partir dos prazeres que oferece nos restaurantes e nos preparos de receitas que, convenhamos se tiver manteiga vai ser mais saboroso, sem aviltar o que saudável. Meu olhar está dedicado a isso, afinal. 

Tenho pensado em cardápios que sejam nutritivos e saudáveis e ao mesmo tempo prazerosos. Lá na casa da minha mãe, em certo período, eu fui nomeada "fazedora das saladas" e ouvia as meninas dizendo vez ou outra "ah! deixa a tia Clau fazer a salada". Isso porque as saladas que eu produzia eram bonitas de apresentação, quase sempre coloridas ou com um degradê de verdes ou vermelhos, dependendo dos ingredientes, mas sempre prezavam muito por serem saborosas. 

Eu amo sal, preciso confessar. Só que entendo o seu papel e já cheguei a pensar que eu era viciada nesse sabor. Hoje como menos, mas ainda poderia diminuir a dose. Nessa época das saladas nos almoços de família, eu tive um cuidado especial de pesquisar temperos e molhos diferentes, que não ficassem só nos deliciosos  sal, azeite e vinagre ou limão. Descobri o toque do mel, o iogurte e muito do que ele proporciona, o tahine, as variações que proporcionam algumas frutas como o maracujá e a romã, fora as especiariais, que são um capítulo a mais a ser escrito. 

Ninguém deixava de comer salada, com folhas diversas, legumes, castanhas, às vezes proteínas como frango ou bacalhau desfiado, frutas da estação e dá-lhe imaginação e criatividade para juntar e não estragar por excesso de "saladice". Importante era oferecer textura, cor, formato, bons ingredientes (os mais puros quanto fosse possível, às vezes realmente não é) e paladar. Tudo isso preparado com dedicação e cuidado. Mais ainda, tudo era feito para ter equilíbrio, mesmo que isso viesse só pelo instinto. 

Proponho que, como eu, a partir de hoje e sem culpa, você também faça uma reflexão no seu cardápio diário. Veja o que está comendo e se precisa daquilo. Escolha melhor o que vai comer e tente não fazer isso só pra matar a fome, mas para se nutrir de maneira adequada. 
Diminua o sal, coma mais lentamente, mastigue e sinta o gosto do alimento. Prove sabores novos, dê chance para si mesmo de conhecer algo mais, saindo do conforto. Nem sempre custa muito caro provar novos ingredientes gostosos. Seu cerébro vai pode querer  se manter no mesmo lugar e pode enganá-lo insinuando que você não gosta daquilo, mas tente. Seu corpo pode gostar, 

Outra dica é cheirar os alimentos que vai comer, dá um prazer... tanto quando for comprar uma fruta, verdura, hortaliça, quanto quando estiver em frente ao prato pronto. 


O que você escolhe para comer num buffet?
Meu plano inicial era fazer uma crítica a um restaurante que fui na semana passada, mas não resisti ao assunto que pulsava na minha frente. 

Espero que a reflexão seja válida. 

Bom findi!

PS: Um beijo pro André que hoje é aniversário dele. Amo você, amigo! 

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Preparando uma viagem de férias - passaporte

Uma das coisas mais divertidas da vida é a preparação de uma viagem. O que não signfiica que não seja cansativo também, mais ainda se você é do tipo que viaja como o Silas e eu, que não somos muito adeptos de ficar presos em pacotes e excursões.  

Este ano, bem no meio dos jogos da Copa do Mundo no Brasil, vamos visitar a Euzi na Alemanha. Só que não é uma simples visita à casa dessa amiga tão querida. Se fosse assim, seria fácil demais e não teria tanta graça. 

Para começar a preparação da viagem é preciso decidir para onde ir, em que tempo, por quanto tempo e como se vai. 

Parece óbvio, mas não é. São tantas as possibilidades e os interesses que fica cada mais estressante o momento da decisão porque vem aquela sensação de que a gente vai deixar de fazer o que é ainda mais legal do que o que a gente vai fazer.  Exemplo disso é a decisão de fazer uma viagem internacional enquanto os olhos dos torcedores do mundo todo estarão voltados para cá.  Mas depois da decisão tomada, essa é a melhor escolha (é assim que eu penso). 

Provavelmente vou escrever sobre a viagem muitas vezes, mas o assunto de hoje, tendo decidido por viajar para outro país, é o passaporte

No Brasil, não se sabe muito bem ao certo o motivo, temos tido dificuldade para agendar uma data próxima para fazer um passaporte.  Se der sorte de entrar no site da Receita Federal para agendar e houver um dia até o fim da próxima semana é quase como ganhar na loteria. Sabendo que eu viajaria em julho e meu passaporte vencia no inicio de maio, em meados de abril entrei no site para agendar. Consegui a data mais próxima no início de junho, na Lapa. Não havia disponibilidade em nenhum dos outros núcleos de atendimento como o Eldorado ou o Shopping Luz. 

Para não ter dor de cabeça na hora de embarcar, é preciso estar com o passaporte válido. Basicamente, os passos a serem seguidos são: agendar a data no site da Receita Federal, imprimir e efetuar o pagamento do boleto (R$ 150 e poucos) e comparecer na data e hora marcadas no endereço correto. Leve os documentos solicitados originais, nada de cópia. São eles: documento de identidade (pode ser RG, CNH, carteira de trabalho, certidão de casamento e certidão de nascimento para os menores de 12 anos), título de eleitor, certidão de cumprimento de obrigações militares (para os homens), certidão de naturalização (se for o caso), guia do recolhimento da taxa sobre a qual já falei antes, passaporte anterior e CPF. 

Vá bonitinho porque chegando lá vai ser feita uma foto que é a que vai impressa no passaporte. Aí, depois de carimbados os dedinhos, revisados os dados do preenchimento da ficha que você fez no agendamento pelo site e assinados os devidos formulários, o seu passaporte deverá ficar pronto em alguns dias.  E você, pessoalmente, deve ir retirá-lo. Caso não possa, é preciso procuração com moldes bem específicos. Não se iluda, esse documento é coisa muito séria e não se deve achar que pode ser dado um jeitinho. Isso não existe!

Bom, assim que meu passaporte novo estiver pronta terei mais um pedaço da prepação da minha viagem resolvido. Falta muuuuuito ainda! 

Agora preciso ir porque tenho horário agendado na minha médica querida, Dra. Lilian. 

Prometo falar mais da viagem. Só pra adiantar uns highlights: vamos pedalar em campos de tulipas e degustar cervejas de primeira qualidade. 




Pretendo contar pra vocês um pouquinho do nosso jeito de viajar. Combina com o nosso jeito de viver ou, se preferir, nosso lifestyle!

Beijos, 


Serviço

Polícia Federalhttp://www.dpf.gov.br/