terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Puxando a sardinha... (parte 1)


Reflexões sobre o mundo digital e a gastronomia


Que valha a adaptação do ditado no qual inicialmente se dizia "puxar a brasa para a sua sardinha" saído dos cortiços onde se assavam sardinhas na brasa para iluminar o ambiente, a reflexão de hoje é sobre o papel do marketing digital e de conteúdo para a Gastronomia. 




Então, por que a expressão? Porque ao tratar desse assunto, vou puxar a sardinha para o meu lado ou a brasa para minha sardinha... já que esse o meu negócio!

Escrevi esse material para a disciplina de Comunicação Empresarial do prof. Rodrigo Stolfi, no fim de 2014 e agora compartilho no Blog com alterações pouco significativas. 




Mídias digitais, marketing de conteúdo e Gastrô...



 A Gastronomia está na moda! Por toda parte há provas disso. 
O assunto está na conversa das pessoas. Todo mundo fala de comida, conhece um chef ou alguém que abriu uma lojinha especializada em algum tipo de refeição ou serviço especializado de alimentação.

Desde os grandes mercados, que dedicam aos produtos gourmet mais espaço e vitrines, até as inumeráveis iniciativas privadas de profissionais que tentam entrar nesse mundo por meio de seus food trucks, pequenos empórios, buffets para servir em casa (cuja equipe quando é grande tem duas pessoas: o chef e um ajudante),  brigaderias, paleterias, temakerias, e  toda sorte de outras “rias” que, quando colocadas no fim do nome de cada comida  tem o poder de transformá-la em sinônimo de um negócio gastronômico.

Seja para o bem ou para mal, isso é assunto em todo tipo de mídia. 

Os jornais têm espaços, alguns até cadernos semanais, cada vez mais voltados à gastronomia; os canais de televisão estão repletos de programas que vão das atrações com receitas simples para a dona de casa às mais acirradas competições culinárias com vultosos prêmios para os participantes; há um número sem fim de páginas em periódicos que surgem dedicadas ao assunto e também as revistas especializadas do mais alto nível sobre gastronomia nas bancas e para assinantes.  No entanto, mais do que tudo isso, a Gastronomia é hoje é um produto perfeito para os meios digitais.

Se há alguma dúvida, basta acessar um mecanismo de busca na internet e procurar um dos jargões do meio.  Expressões como gourmet, chef, harmonização, guarnição, sommelier, mise en place e outros tantas estão presentes num infindável número de conteúdos digitais, seja em blogs ou canais de vídeo, em  newsletters ou sites de formatos cada vez mais criativos.  O celular se tornou uma ferramenta que garante ao internauta acessar os conteúdos de seu interesse em qualquer lugar e a qualquer hora, o que o tornou seu uso massivo. Isso faz com que a cada dia surjam  mais aplicativos que oferecem maneiras atrativas para que o usuário se conecte. Como conteúdo, a gastronomia está no alto dessa onda. Há aplicativos de receitas, de vinhos e cervejas, de restaurantes, de entrega de comida, de compras de produtos para cozinha e muito mais.

Planos de Comunicação

Há alguns anos, até bem recentes, criar uma estratégia de comunicação para determinado produto, personagem ou negócio, incluía itens elementares como:

- divulgação em mídia “mãe” (publicidades e espaços em revistas como Veja e Época e na programação da rede Globo);

- propaganda e publicidade (TV, jornais, revistas, outdoors);

- assessoria de imprensa: releases (institucional e dos produtos) e relacionamento com jornalistas;

- participação em eventos e em programas de TV; e

- publicação de artigos. 

Não era mais que isso. Haja trabalho, diriam alguns, não há dúvida!

Já hoje... as exigências são outras. Algumas até bem mais fáceis e baratas, outras, nem tanto. 

Só não dá para pensar em  estratégia de comunicação que não considere internet e mídias digitais.

Apenas a título de exploração desse conteúdo, vamos refletir sobre  uma pequena empresa de catering (serviço de alimentação) do tipo buffet gastronômico para atender pequenos eventos, desde festas familiares até fornecimento de refeições especiais esporádicas para empresas. Se preferir, podemos também tratar de um restaurante.

  • Como montar um plano de comunicação voltado ao mercado para divulgação de uma empresa dessa natureza?
  • Quais os elementos-chave a serem considerados para uma boa companha de comunicação empresarial?


.... (continua)

Na próxima parte do texto, abordo o os itens básicos de um plano de comunicação para a pequena empresa de catering ou o restaurante. Talvez isso clareie algumas ideias tanto para  quem é do meio como para quem não é. Só na semana que vem.  Os próximos posts tratam de outros assuntos. 

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Suco verde

Há alguns meses, resolvi diminuir o volume de leite que eu tomava todos os dias. 
Desde a época da faculdade lá em Bauru (olha que isso faz tempo) eu me tornei uma versão humana de um bezerro. Tomava leite com tanta frequência que chegava a consumir mais de um litro num só dia.  Nunca gostei do sabor do leite integral, mas desnatado era comigo mesma. 

Coincidência ou não, desde que reduzi o consumo de leite, notei que fui melhorando de algumas dores no corpo, em especial, nas costas.  A decisão de parar nada teve a ver com isso, mas o resultado foi concomitante, de modo que achei por bem, manter a ideia. 

O que me fez querer diminuir foi uma sensação de peso no estômago todas as vezes que tomava leite e uma azia constante, que me deixava bem desconfortável. Demorei pra notar que era isso que causava, assim como também me causa esse desconforto tomar refrigerante. Mas, às vezes, escorrego no vício do bezerro e da coca light (odeio coca zero! não sei por que raios inventaram essa coisa horrível!). 

Seria preciso substituir devidamente o leite por um suco, especialmente de manhã. Só que eu também não assimilo bem tomar suco de laranja. Foi assim que optei por fazer suco verde. Nada a ver com dieta milagrosa ou algum tipo de expectativa de emagrecimento. Não acredito em emagrecer desse jeito. Acredito em educação alimentar, ou seja, comer direito, a cada três horas, porções pequenas, sem excessos e balanceadas. 




O suco verde vem sendo amplamente enaltecido de uns anos pra cá, inclusive, já ganhou versões em caixinhas e industrializadas a partir de ingredientes orgânicos. Essa é a prova de que há demanda reprimida, o que significa pensar que um grande contingente de pessoas é a fim de tomar suco verde. 

A receita básica que eu usei aqui em casa acaba sendo alterada no dia a dia. Isso porque costumamos aproveitar todos as frutas e verduras que compramos, tentando evitar o desperdício. Portanto, se temos pera e não maçã, usamos o que temos ou o que está mais próximo de se deteriorar. Da mesma forma com as folhas verdes. 

Minha preferência é o suco verde feito com água, couve, maçã, suco de limão e mel. Mas de vez em quando couve vira rúcula, alface ou espinafre, limão é substituído por laranja ou manga verde, o mel deixa de ser usado, no lugar da maçã combina cenoura e beterraba, mas às vezes a troca é por carambola... Uma salada mista! 

Outra coisa que é bem indicada no suco verde é a chia, uma semente com excelentes nutrientes. Essa, sim, dizem que ajuda a perder peso, porque ajuda na aceleração do metabolismo para eliminação de gorduras. 

Combinar frutas, verduras, legumes e sementes é uma delícia. Não é preciso ter grandes conhecimentos, só aquela sabedoria que já vem com a gente e que vai melhorando conforme nos arriscamos a experimentar. 

Como costumo dar receitas, segue uma básica para você, quando for à quitanda, saber o que pode comprar que não tem erro. Só que tem que fazer e beber imediatamente. 

Suco verde

Ingredientes





2 folhas de couve manteiga sem os talos mais grossos
1/2 maçã do tipo Fuji com a casca
1 colher (chá) de mel
1/2 limão espremido
1 colher (chá) rasa de chia
200 ml de água filtrada gelada

Modo de fazer
Bata tudo no liquidificador. Coe, se preferir,  e tome em seguida. 

Esse da foto, eu acabei de fazer, E já tomei! 





Sobre os benefícios do suco verde, encontrei informações diversas, principalmente que é desintoxicante (detox), mas teve uma matéria que me chamou mais atenção. Por isso, segue o link para quem quiser e gostar da ideia. Tem inclusive receitas e tal. 

Sobre o suco verde