quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Os nomes das frigideiras

Série: A cozinha em pílulas de conhecimento


No dicionário, frigideiras são panelas ou utensílios de cozinha de metal ou barro, com formato redondo, borda baixa, que têm cabo comprido, cujo uso geralmente é para frigir alimentos. 

Prático? Nem tanto. Na Gastronomia, há diferentes nomes e usos, que apesar de suas diferenças aparentemente sutis nem sempre obtêm os resultados mais satisfatórios. A arte culinária pode improvisar, a gastronomia exige mais conhecimento e técnica. Importante mesmo é aprender e, mais que isso, cozinhar!

Existem diversos tipos de frigideira: 

    Ilustração do livro 400 g - Técnicas de Cozinha
  • Pergaminho - é uma panela de bordas baixas e curvas, com duas alças laterais, comumente usada para preparos que exijam finalização no forno, como os gratinados. Inox, ferro e alumínio são os materiais mais comuns utilizados nesse tipo de frigideira. 
  • Sautese (frigideira baixa) é uma panela com as bordas baixas e inclinadas usada para saltear alimentos. Em geral, tem apenas um cabo comprido. Comumente encontrada nos materiais inox, cobre e alumínio.
  • Sautoir é uma frigideira mais alta, com bordas retas, mais usada para fritura rasa e para chapear carnes, aves e peixes, assim como para finalizar molhos. Nela se usa pouco óleo. Em geral, tem apenas um cabo, mas pode também ter, do outro lado, uma alça, que ajude a despejar o molho quando pronto. De inox, ferro e alumínio.
  • Wok é uma frigideira alta, com fundo arredondado e cabo. Muito usada na culinária oriental, distribui o calor por igual dado o seu formato. Eu tenho uma de teflon, mas isso é quase pecado! Melhor se fosse de inox ou ferro. 

Post relacionado  >>> 400 g - Técnicas de Cozinha

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Cozinha sem Preconceito


Revista Bem Mulher, edição número 6


Para quem me acompanha nas publicações da revista Bem Mulher  em que escrevo a coluna Gastronomia e Hospitalidade,  um aviso importante: já está nas bancas a edição número 6.

Desta vez, escrevo sobre Cozinha sem Preconceito.  Na dinâmica vida de quem cozinha, o coração está sempre presente, mas é preciso também abrir a cabeça e se livrar de estigmas culinários. Por que não misturar? Com uma boa dose de equilíbrio isso pode funcionar super bem. Bem mulher! 

Recomendo comprar a revista na banca ou fazer uma assinatura pelo site porque os conteúdos são ótimos: saúde, beleza, alimentação, exercícios, comportamento. Uma revista interessante mesmo! 

Para os leitores do blog, o conteúdo (da coluna) segue na íntegra. Espero que curtam e compartilhem. 



Cozinha sem Preconceito





(Leia matéria na íntegra)