quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Os nomes das frigideiras

Série: A cozinha em pílulas de conhecimento


No dicionário, frigideiras são panelas ou utensílios de cozinha de metal ou barro, com formato redondo, borda baixa, que têm cabo comprido, cujo uso geralmente é para frigir alimentos. 

Prático? Nem tanto. Na Gastronomia, há diferentes nomes e usos, que apesar de suas diferenças aparentemente sutis nem sempre obtêm os resultados mais satisfatórios. A arte culinária pode improvisar, a gastronomia exige mais conhecimento e técnica. Importante mesmo é aprender e, mais que isso, cozinhar!

Existem diversos tipos de frigideira: 

    Ilustração do livro 400 g - Técnicas de Cozinha
  • Pergaminho - é uma panela de bordas baixas e curvas, com duas alças laterais, comumente usada para preparos que exijam finalização no forno, como os gratinados. Inox, ferro e alumínio são os materiais mais comuns utilizados nesse tipo de frigideira. 
  • Sautese (frigideira baixa) é uma panela com as bordas baixas e inclinadas usada para saltear alimentos. Em geral, tem apenas um cabo comprido. Comumente encontrada nos materiais inox, cobre e alumínio.
  • Sautoir é uma frigideira mais alta, com bordas retas, mais usada para fritura rasa e para chapear carnes, aves e peixes, assim como para finalizar molhos. Nela se usa pouco óleo. Em geral, tem apenas um cabo, mas pode também ter, do outro lado, uma alça, que ajude a despejar o molho quando pronto. De inox, ferro e alumínio.
  • Wok é uma frigideira alta, com fundo arredondado e cabo. Muito usada na culinária oriental, distribui o calor por igual dado o seu formato. Eu tenho uma de teflon, mas isso é quase pecado! Melhor se fosse de inox ou ferro. 

Post relacionado  >>> 400 g - Técnicas de Cozinha

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

A cozinha em pílulas de conhecimento



Carême - Marie-Antoine Carême foi um importantíssimo e revolucionário chef de cozinha francês que viveu entre o fim do século 18 e o primeiro terço do século 19. Foi o primeiro chef celebridade do mundo, conhecido como o chef dos reis e o rei dos chefs.  

Sua contribuição para a gastronomia foi imensa uma vez que foi ele quem primeiro separou os preparos dos pratos por categoria e os classificou. A partir disso criou métodos básicos de preparo que serviriam para as mais diversas variações da culinária. Um exemplo são os molhos. A partir dos chamados molhos mãe (bechamel, velouté, espanhol, de tomates e holandês) é que os demais se derivam quando são aromatizados, finalizados ou guarnecidos de diversas maneiras.


Saber um pouco de história é fundamental para quem se arrisca no mundo da gastronomia. Vale pesquisar sobre o chef Carême já que ele, sem dúvida, nos encurtou caminhos.